Vila do Conde

Queima do Judas é este sábado online mas conta com todos

Queima do Judas é este sábado online mas conta com todos

Espetáculo encenado no formato de radionovela. Poeta da terra António Ramalho será homenageado.

Cinco dias, cinco espaços, uma escultura a surgir "da noite para o dia", sem aviso prévio. O Judas andou a passear pela cidade. Num ano "diferente", a 16.ª edição da Queima do Judas de Vila do Conde adaptou-se à pandemia e, entre as surpresas pela rua e o digital, mostrou que a arte está "viva e bem viva". O poeta da terra, António Ramalho (1959-2017), é o homenageado. O espetáculo comunitário, organizado pela associação cultural "Nuvem Voadora", tomou a forma de radionovela e é este sábado, em formato digital. Será transmitido às 22.47 horas.

"Queríamos que fosse uma peça que simbolizasse a ideia de rasgar com a pandemia, de luta, mas também as loucuras que cada artista tem dentro de si. Essa loucura interior que o Ramalho tinha. É esse lado negativo - de sermos aprisionados por sermos diferentes -, essa 'mão opressora' que queremos queimar", explicou Filipa Mesquita, do Teatro e Marionetas de Mandrágora, que, todos os anos, constrói o Judas.

A enorme "mão opressora", com as artes aos pés - a escultura, o teatro e a literatura - percorreu, em cinco dias, cinco dos espaços onde, em edições anteriores, o Judas foi queimado. Esteve no Mosteiro de Santa Clara, em frente ao tribunal, junto ao Parque de Jogos, no Mercado e, finalmente, em frente à nau quinhentista, para onde estava prevista a edição deste ano.

Quem passa quer saber o que é, faz perguntas, "tropeça" na arte. Filipa está quase sempre por perto, até porque o Judas foi "sendo construído" na rua.

Queima à meia-noite

Este sábado vai a queimar à meia-noite. Ainda antes, explica Pedro Correia, da Nuvem Voadora, a radionovela, feita por atores e músicos profissionais e amadores das várias associações do concelho, que, este ano, "deram corpo ao espetáculo comunitário, sem fisicamente se juntarem".

O guião foi "inspirado na vida e obra de António Ramalho". Em tom de sátira social, será ainda lido à meia-noite, o Testamento de Judas, fruto dos muitos contributos anónimos que chegaram à Nuvem Voadora.

Sem sair à rua, a Queima do Judas é, este ano, para ver em casa - através do Facebook, Instagram ou YouTube -, mas o desafio à participação de todos mantém-se.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG