Exclusivo

Bombeiros arranjam "biscates" para ajudar a pagar as contas

Bombeiros arranjam "biscates" para ajudar a pagar as contas

Subida dos combustíveis deixa corporações em agonia. S. Mamede de Infesta, em Matosinhos, parou com o transporte de doentes não urgentes. Presidente da Liga dos Bombeiros Profissionais queixa-se de falta de apoios por parte do Governo.

O aumento do salário mínimo nacional e, mais recentemente, a subida dos combustíveis têm posto várias corporações de bombeiros à beira do abismo, a fazer contas à vida. Por isso mesmo, há algumas que arranjam formas adicionais de arrecadar mais umas verbas. O que nem sempre resulta.

A de S. Mamede Infesta, Matosinhos, por exemplo, deixou transportar doentes não urgentes no início do mês. Com um prejuízo mensal de 11 mil euros, a presidente, Leonida Morais, lamenta que o Estado "não atualize o subsídio do gasóleo para os transportes não urgentes há 11 anos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG