Mobilidade

Câmara de Gaia garante que custo da nova ponte sobre o Douro "não derrapou"

Câmara de Gaia garante que custo da nova ponte sobre o Douro "não derrapou"

A Câmara de Vila Nova de Gaia garantiu esta sexta-feira que o custo da nova ponte sobre o Douro "não derrapou", apontando que os acessos do lado sul custarão 11,5 milhões de euros porque incluem "um plano urbanístico ambicioso".

Em declarações à agência Lusa, o presidente da câmara, Eduardo Vítor Rodrigues, afirmou que o custo da ponte anunciada em abril de 2018 "mantém-se dentro dos parâmetros definidos de partilha de custos", ou seja, de seis milhões a serem pagos por Gaia e seis milhões a serem pagos pela autarquia do Porto.

Quanto aos acessos, Eduardo Vítor Rodrigues descreveu que Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, vai gastar 11,5 milhões de euros, uma verba que esta câmara tem destinada para o plano urbanístico da zona que vai receber o tabuleiro, o qual inclui a construção de um viaduto.

"O valor dos acessos, em Vila Nova de Gaia, é de facto algo significativo, porque queremos aproveitar os acessos da ponte para fazer uma ligação à rotunda da VL9, permitindo assim ter ali uma variante que permita descongestionar o trânsito da ponte da Arrábida, mas sobretudo da ponte do Infante", disse Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca especificou que os 11,5 milhões de euros incluem expropriações de terrenos, uma ligação em parte viaduto com pilares e estrutura sobre-elevada e outra parte ao nível do solo com mais de dois quilómetros e estruturas de água, saneamento, águas potáveis, águas residuais e eletricidade.

É objetivo da Câmara de Gaia, disse o presidente, que "quem vem da Estrada Nacional 222, do nó dos Carvalhos ou de Santo Ovídeo possa optar por entrar no Porto pela zona de Campanhã e usar o interface intermodal e o transporte público", apontando esta como outras vantagens de uma futura travessia batizada como ponte D. António Francisco dos Santos.

"A ponte é uma vontade, uma realidade e não há derrapagem nenhuma. Entre a zona da ponte e do rio e a da VL9 existe uma cota muito acentuada e muito diferenciada. É uma obra de engenharia complexa, que vai ser o grande redesenho urbano. Vai ser a nova Avenida da República do século XXI", disse Eduardo Vítor Rodrigues.

A construção da nova ponte entre Porto e Vila Nova de Gaia, cuja conclusão era apontada pelos autarcas dos dois municípios para 2022 e que, um ano e meio de depois, ainda não avançou no terreno, tem um custo estimado de 12 milhões de euros, integralmente assumidos pelas duas câmaras.

No anúncio formal, em abril do ano passado, os autarcas revelavam que a sétima travessia sobre o Douro seria construída à cota baixa, numa extensão de 250 metros, estando previstas a ligação para trânsito rodoviário e transporte público, uma passagem pedonal e ciclovia.

À data, os autarcas avançavam que seriam necessários dois concursos públicos, um para a conceção a lançar naquele ano (2018) e um segundo de caráter internacional para a construção da ponte que iria ser instalada entre Campanhã (Porto) e o Areinho de Oliveira do Douro (Gaia).

Outros Artigos Recomendados