Vila Nova de Gaia

Gaia na "primeira linha" da segunda fase do metro

Gaia na "primeira linha" da segunda fase do metro

O presidente da Câmara de Gaia, Luís Filipe Menezes, considera que "nem todas as linhas previstas para a fase do metro seguinte têm a mesma lógica e prioridade" e que devem avançar em primeiro lugar as que contribuem para "a sustentabilidade da gestão quotidiana" do sistema.

Assim, o autarca considera que a linha até Vila d"Este, em Vila Nova de Gaia, deverá ser prioritária. "Não podem ser pensadas da mesma forma linhas que sirvam 60 ou 80 mil potenciais utentes por dia e outras que atravessem campos cultivados de milho", sublinhou Luís Filipe Menezes.

 "O município de Gaia estará na primeira linha das obras a serem executadas, quando o calendário for definido", afirmou Ricardo Fonseca, presidente da Metro do Porto. Os responsáveis falavam, ontem, durante uma visita às obras de extensão da Linha Amarela a Santo Ovídio.

A segunda fase da rede de metro, cujo dossiê já foi enviado ao Governo, inclui, para além do prolongamento da Linha Amarela a Vila d"Este, a Linha de Valbom (servirá o centro de Gondomar), a Linha do Campo Alegre  e  a Linha de S. Mamede (Matosinhos).

O concurso da segunda fase está à espera de luz verde do Governo, mas, tal como todas as parcerias-público privadas, está a ser reavaliado à luz dos constrangimentos orçamentais.

Durante a visita, Luís Filipe Menezes propôs, ainda, uma gestão da Metro feita mais a Norte e levada a cabo pelos autarcas. "Há maturidade suficiente para uma gestão metropolitana, técnica, competente tecnicamente, mas com uma gestão política a Norte. Não é preciso que seja o ministro das Obras Públicas a mandar na Metro do Porto. Os autarcas portuenses podem fazê-lo", salientou o presidente da Câmara de Gaia.

Menezes não se alongou sobre a possibilidade das verbas europeias para o TGV passarem para o metro do Porto.

PUB

 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG