Vila Nova de Gaia

Interrupção parcial das linhas 900 e 905 para Vila D'Este adiada

Interrupção parcial das linhas 900 e 905 para Vila D'Este adiada

A interrupção parcial do serviço das linhas 900 e 905 para Vila D'Este prevista para 12 de maio foi hoje adiada para o final de Julho, anunciou a STCP após uma reunião de entendimento.

"Uma vez que o operador OFR [Oliveira Fernandes e Ribeiro] afirmou não dispor ainda do Andante para operar as partes de percurso que a STCP deixará de fazer e, atendendo à vontade comum de minimizar o impacto na população afectada de Vilar de Andorinho e Vila D'Este, foi decidido criar as condições para que a interrupção parcial do serviço nas linhas 900 e 905 seja adiada até ao final de julho", refere comunicado da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto.

A suspensão de parte dos serviços das Linhas 900 (a partir de Santo Ovídio) e 905 (a partir de Vila D'Este) estava agendada para 12 de maio depois de a STCP ter sido notificada pelo Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto em resultado da execução de um processo judicial interposto pela OFR.

Depois de protestos da população, que até se concentrou frente à autarquia na passada sexta feira, de conversações com a câmara e de uma reunião que decorreu, esta segunda-feira, entre a STCP, a ANTROP -- Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros, o IMTT -- Instituto de Mobilidade e dos Transportes Terrestres, a OFR e a AMTP -- Autoridade Metropolitana de Transportes do Porto, ficou decidido que a empresa privada OFR "vai apresentar requerimento ao Tribunal para o adiamento da execução da sentença até final de Julho, sem reclamação de indemnização a pagar pela STCP, condição indispensável para que a STCP se possa manter em operação por mais este período".

"Ficam assim criadas as condições para que a operação destas linhas se mantenha até ao final de julho, data em que o operador privado já poderá substituir a STCP nesta parte dos percursos", salienta o comunicado.

Para António Moreira, presidente da Associação de Proprietários de vila D'Este, "o interesse público foi salvaguardado em detrimento dos interesses económicos".

Em declarações à Lusa, Joaquim Cavalheiro, presidente da AMTP, adiantou que irá ser criado um grupo de trabalho com a TIP e a OFR para seja possível a utilização do Andante pelo privado.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG