Estado de emergência

Marginal de Gaia com menos pessoas e mais controlo policial

Marginal de Gaia com menos pessoas e mais controlo policial

"Proteja-se da pandemia e fique em casa. Evite riscos desnecessários" é mensagem sonora que se ouve nas ruas junto à marginal de Vila Nova de Gaia para dispersar as poucas pessoas que ainda arriscam a sair de casa. Um forte aparelho policial reforçou, esta manhã de domingo, a mensagem e aperta o cerco à circulação dos automóveis parando todos os carros que tentam passar as barreiras.

Olívia Cardoso tem 82 anos e, logo pela manhã, decidiu dar um passeio pela zona do Senhor da Pedra. "Eu estou sempre metida em casa porque estou consciente dos riscos, mas tive de vir andar um bocadinho porque tenho duas próteses e não posso estar muito tempo parada", conta a idosa que admite já nem ver telejornais.

"Nem vejo televisão porque até fico doente, isto deve estar pior do que o que imaginamos", diz com o medo a invadir a voz.

Na Avenida Gago Coutinho, várias grades impedem a circulação normal dos automóveis. De alguns em alguns metros, agentes da PSP param os carros para questionar os condutores.

No passeio, são várias as pessoas que não dispensam o exercício físico. Mas já não se veem as romarias de há uma semana.

Profissional da área de segurança privada, Miguel Nunes não abdica de fazer exercício, mas também ele reparou que a marginal está mais vazia.

"Acho que as pessoas veem as notícias, têm noção que isto está pior e por isso estão a tomar mais medidas de segurança. Acho muito bem que as pessoas não saiam de casa a não ser para o necessário", explicou lembrando que está otimista, mas cauteloso.

Apesar de estarem informadas, diz João Fernandes que conduz a carrinha com as mensagens sonoras de apelo à população, "as pessoas não se mentalizaram ainda que têm de ficar em casa".

Menos otimista, João admite ter receio do futuro e por estar em posição de risco, já não vê a filha e a mulher desde o início do mês.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG