Vila Nova de Gaia

Motorista de camião morre atropelado na A1 quando prestava auxílio a condutora

Motorista de camião morre atropelado na A1 quando prestava auxílio a condutora

Homem de 41 anos saiu do pesado para prestar auxílio à condutora do ligeiro envolvido no acidente e foi colhido mortalmente, quando regressava ao camião para ir buscar o colete reflector.

Ao tentar ser solícito, num acidente em que estava envolvido, um camionista de 41 anos morreu, atropelado na auto-estrada em que seguia, supostamente para regressar a casa, na região de Leiria.

Não houve mais vítimas no complexo acidente que, pelas 19 horas desta segunda-feira - assim marcava o tacógrafo do pesado - entupiu a A1, ao quilómetro 294,3, no sentido norte-sul. De forma mais perceptível, em Vilar de Andorinho, Vila Nova de Gaia, pouco depois da área de serviço.

As circunstâncias do acidente original não foram totalmente esclarecidas pela Brigada de Trânsito da GNR, do Porto, que se deslocou ao local. Certo é que, num ponto onde a auto-estrada tem duas faixas de rodagem em cada sentido, o carro, um Opel Corsa comercial, conduzido por uma senhora de Grijó, circulava pela direita.

A avaliar pelos danos sofridos (poucos, apesar de tudo), terá levado um toque do camião, na traseira, do lado esquerdo, rodopiando e sendo cuspido rumo ao separador central, ao qual ficou encostado, em contramão.

A senhora não sofreu ferimentos, mas o motorista do camião, que encostou algumas dezenas de metros à frente, foi em auxílio dela. Chegaram a falar, segundo familiares da mulher que lá acorreram, e o camionista foi aconselhado a ir buscar o colete reflector.

Não o levava vestido quando decidiu atravessar a estrada, saindo inopinadamente de junto do carro acidentado e sendo colhido por um Volkswagen Polo. Morreu ali mesmo, e o óbito foi declarado por um médico do INEM.

Foi depois levado, pelos sapadores de Gaia, para o Instituto de Medicina Legal.

Era já noite cerrada, num local sem iluminação pública, e o condutor deste segundo ligeiro disse depois, segundo as mesmas testemunhas, que não viu nada nem teve tempo de reagir. Apenas teve a sensação de "um objecto" lhe aparecer, súbito, à frente.