Gaia

Os 150 anos do sacerdote que sobrevive no coração de centenas de crentes

Os 150 anos do sacerdote que sobrevive no coração de centenas de crentes

A Fundação Padre Luís, em Gaia, prolonga desde 1959 a mensagem de solidariedade e educação que o sacerdote praticou durante a sua vida.

"150 anos do nosso mentor, precursor, cidadão, professor, amigo dos mais carenciados, do homem que começou isto tudo há muitos anos". É assim que Salvador Almeida, vice-presidente da Fundação Padre Luís, em Gaia, apresenta as celebrações do aniversário do nascimento do sacerdote, que acontecerão a partir desta quinta-feira até ao final do ano.

Com mais de 60 anos, a instituição de cariz católico envolve cerca de 50 funcionários, dá apoio a cerca de 300 crianças e dedica-se a "continuar a obra começada pelo padre Luís de forma muito modesta, cumprindo a sua preocupação na solidariedade e na educação dos mais necessitados", revelou o vice-presidente.

O Padre Luís que nasceu em 1872 no Pinhão, formou-se em Teologia aos 25 anos e foi ordenado sacerdote em 1897, na Sé do Porto. Dedicou-se fundamentalmente à missão evangélica e foi responsável pelo santuário do Monte da Virgem, em Gaia, que criou e desenvolveu. A sua solidariedade e trabalhos na parte educativa destacaram-no até aos dias de hoje na comunidade envolvente. Exemplo disso foram as "aulas noturnas" em que "lecionou inglês e contabilidade para os empregados iletrados nas Caves de Vinho do Porto, para que pudessem desempenhar o seu trabalho", partilhou Ana Silva.

"Acho que hoje em dia não há ninguém assim", prosseguiu a colaboradora, que se emociona ao lembrar o sacerdote, ao fim de mais de 20 anos a trabalhar na instituição.

Atualmente sepultado num mausoléu com o seu nome, o sacerdote "é venerado pelos oliveirenses", conta Salvador: "tinha uma visão muito aberta, lutava pela sua crença na solidariedade, amizade e partilha".

As celebrações que começam nesta quinta-feira, agendam diversas atividades para ao longo do ano que, segundo Salvador, "vão envolver crianças de todo o município, a fim de saberem quem foi o padre Luís, qual foi a sua obra e mensagem, e que, depois de tantos anos, continua muito atual". Com concertos, conferências e atividades para as crianças, as celebrações terminam a 26 de dezembro, dia da morte do sacerdote, com a inauguração das obras de requalificação da capela onde está sepultado.

PUB

A Fundação Padre Luís promove a educação e desenvolvimento de centenas de crianças e jovens diferentes, independentemente do cariz católico. Alberto Bessa, vogal na instituição relembra quando "percorria os corredores da fundação quando era pequenino": "andei aqui em criança e notei desde cedo a envolvência que as pessoas tinham pela figura do padre e pela organização".

Salvador Almeida garante ser ali "um local onde as crianças estão felizes" e que as instituições públicas como a Segurança Social e o município veem a "relevância do serviço público" da instituição.

"Viver o dia de hoje, mas sempre perspetivar o futuro", garante Salvador, que acrescenta os objetivos de requalificar a instituição, de um centro de dia e serviço de apoio domiciliário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG