Porto-Gaia

Procedimento para o barco Afurada-Ouro lançado até outubro

Procedimento para o barco Afurada-Ouro lançado até outubro

O presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, previu, esta sexta-feira, que o procedimento para a travessia fluvial entre a Afurada e o Cais do Ouro, no Porto, possivelmente operado pela STCP Serviços, seja lançado até outubro.

O autarca de Gaia partilhou a previsão de "setembro/outubro" com os jornalistas à saída da reunião da Área Metropolitana do Porto com o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, que decorreu na sede daquela entidade, no Porto.

A travessia fluvial entre a Afurada, em Gaia, e o Cais do Ouro, no Porto, foi retomada provisoriamente até 4 de julho e entre 14 e 17 de julho, informou na quinta-feira à noite a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

PUB

Em comunicado, é referido que a travessia durante este período entre as duas margens será feita "por uma embarcação em regime excecional", enquanto decorrem as Festas de São Pedro e entre 15 e 17 de julho, quando decorre o Festival Marés Vivas. Apesar de a travessia ser provisória, a APDL acrescentou estar "para breve o retomar das negociações a fim de se recuperar a passagem centenária entre as duas margens".

No dia 15 de fevereiro, Eduardo Vítor Rodrigues já tinha dito à Lusa que as autarquias de Gaia e do Porto podiam lançar o procedimento para retomar a travessia fluvial interconcelhia entre a Afurada e o cais do Ouro.

"As câmaras do Porto e Gaia têm neste momento luz verde da tutela para lançarem um procedimento para ter a travessia" entre a Afurada (Gaia) e o Cais do Ouro (Porto), disse o autarca gaiense, assegurando que as câmaras estavam naquele momento "com o assunto em mãos", tendo apontado para março, mas alertando que "às vezes basta uma questão jurídica para atrasar".

Esta sexta-feira, Eduardo Vítor Rodrigues disse que o procedimento estava em curso, incluindo um estudo económico-financeiro sobre a travessia.

Em aberto está a possibilidade de a travessia ser gerida pela STCP Serviços, subsidiária 100% detida pela intermunicipal Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP).

Segundo declarações do autarca em fevereiro, "mesmo sendo a STCP Serviços, tem que ter um caderno de encargos com as respetivas responsabilidades", vaticinando Eduardo Vítor Rodrigues "que com o entendimento" entre as duas autarquias das margens norte e sul do rio Douro, poder-se-á "resolver o assunto rapidamente".

No dia 10 de janeiro, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, tinha dito que estaria disponível para dialogar com o seu homólogo gaiense acerca de uma "avaliação técnica" à travessia fluvial entre o cais do Ouro e Afurada.

Rui Moreira disse então que a retoma da ligação "valeria a pena ser estudada", nomeadamente, por intermédio da STCP Serviços.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG