Autárquicas

PSD e CDS acusam António Oliveira de "insolência" e de "nunca ter dado a cara"

PSD e CDS acusam António Oliveira de "insolência" e de "nunca ter dado a cara"

A Aliança Democrática, que junta PSD, CDS e PPM em Gaia, respondeu este sábado a António Oliveira, que desistiu de ser candidato à Câmara, acusando-o de "nunca" ter apresentado uma ideia ou "dado a cara", e de "insolência" de que sentem "vergonha". Num comunicado acertado à tarde entre responsáveis concelhios e distritais do PSD e do CDS-PP, dizem que o ex-selecionador só reuniu uma vez com os candidatos às juntas. Já Rui Rio ficou chateado por não ter sido avisado previamente da desistência.

"Durante três meses, António Oliveira reuniu uma única vez com os candidatos às juntas de freguesia, nunca apresentou uma ideia, quanto mais um projeto, nunca deu a cara e adiou por três vezes a apresentação pública. Infelizmente, nada aconteceu", refere o comunicado enviado ao JN e assinado pela Aliança Democrática, que tem no final o nome de Cancela Moura, líder do PSD/Gaia, mas foi articulado com a Distrital e com o CDS.

"Do putativo ex-candidato tivemos apenas o anúncio e agora o abandono, com uma comunicação inqualificável, que atenta a dignidade dos partidos e dos candidatos que integram a coligação. Face à insolência da narrativa, de que sentimos vergonha alheia, estamos dispostos, pela primeira e única vez, a exercer o contraditório e a fazer a defesa da honra daqueles que, até à data, em nome dos superiores interesses dos gaienses, se mantiveram em silêncio", continua o documento.

A Distrital e a Concelhia do PSD, que se uniram neste processo e culpam António Oliveira pelo sucedido, estiveram este sábado de manhã em Gaia com os candidatos a presidentes de junta para decidir a estratégia a seguir e preparar a resposta às críticas do ex-selecionador, disse fonte social-democrata ao JN.

Número dois "estava previsto"

O antigo futebolista e ex-selecionador António Oliveira desistiu da candidatura à Câmara de Gaia, pelo PSD, alegando ser "uma questão de higiene". Na base da desistência esteve um conflito com Cancela Moura, líder da Concelhia de Gaia, que previa ser o número dois na lista de vereadores à Câmara ou, em alternativa, ser candidato à liderança da Assembleia Municipal. Porém, fonte distrital disse ao JN que "desde o início estava prevista" aquela escolha para o segundo lugar da lista à Câmara, recordando tratar-se de uma candidatura do PSD.

Conferência de imprensa segunda-feira

PUB

"A candidatura da Aliança Democrática, em Vila Nova de Gaia, é uma coligação superior às pessoas que o compõem. Estas passam e os projetos ficam, assim como os princípios e os valores que o norteiam", refere ainda o comunicado, que convoca a imprensa para uma conferência a realizar segunda-feira, às 11,30 horas, com Cancela Moura, presidente da Concelhia do PSD, Vítor Pereira, líder concelhio do CDS, Alberto Machado, presidente da Distrital do PSD, Fernando Barbosa, seu homólogo do CDS, e dos candidatos às juntas de freguesia.

Oliveira diz que foi sujeito a "intimidações e ameaças"

António Oliveira foi duro com o aparelho social-democrata, o que caiu muito mal ao partido. "Com vergonha do que vi, com uma imensa dor de alma pelo que senti, tenho que dizer que não quero, não posso e não aceito continuar a encabeçar esta candidatura. Isto não é uma desistência. Isto é uma questão de higiene. Uma recusa de pôr os interesses de uns personagens à frente dos interesses dos 300 mil gaienses e pessoas que escolheram este grande concelho para fazer a sua vida", justificou o agora ex-candidato.

"Ao longo de três meses, fui sujeito a pressões, intimidações e ameaças. Tentaram impor-me o pior da mercearia partidária e tentaram envolver-me nas mais inacreditáveis negociatas de lugares. Enfim, quiseram obrigar-me a empregar os beneficiários do rendimento mínimo da política", criticou numa carta aberta.

"Não conheço este PSD que, em Gaia, está prisioneiro de quem só lhe faz mal, para fazer bem a si próprio. Não quis acreditar que fosse possível fazer política com base nos piores princípios da espécie humana. Mas, aqui, em Gaia, no meu partido de sempre, é o que se passa", rematou.

Rui Rio ficou desagradado

O PSD, através do seu gabinete de imprensa, admitiu à Lusa ao final da tarde de sexta-feira que António Oliveira tinha reunido com Rui Rio a quem indicou haver "dificuldades de relacionamento" com concelhia liderada por Cancela Moura, mas sem o informar da sua desistência. O JN sabe que o líder do PSD ficou desagradado com a atitude do candidato por não o ter avisado da desistência antes de a comunicar publicamente.

Segundo noticiou sexta-feira o Expresso, a escolha de Oliveira para líder da Assembleia Municipal recaiu no advogado António Montalvão Machado, antigo líder do grupo parlamentar do PSD e atual vice-coordenador do Conselho Estratégico Nacional (CEN).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG