Investigação

Morte de aluno na República Checa não envolveu terceiros

Morte de aluno na República Checa não envolveu terceiros

Corpo de estudante de Medicina continua na República Checa.

A autópsia ao corpo de Tomás Alcaravela, estudante português de Medicina na República Checa, terá apurado que não houve envolvimento de terceiros na sua morte, revelou o jornal checo Krimi Plzen, citando fontes policiais. O jovem de 19 anos foi encontrado sem vida na segunda-feira, na claraboia do apartamento onde vivia no último andar, uma situação que continua a ser investigada pela polícia.

Manuel Valamatos, presidente da Câmara de Abrantes, onde a família de Tomás vive, contou ao JN que esta sexta-feira falou com os pais, que desconhecem quando é que o corpo do filho mais velho será trasladado para Portugal. "Estão muito angustiados e perdidos", revelou.

O estudante do segundo ano da Faculdade de Medicina de Pilsen da Universidade de Charles esteve desaparecido entre a madrugada de sábado e a noite de segunda-feira. A última vez que foi visto com vida foi no seu apartamento. Antes, terá estado numa discoteca.

Na sequência do desaparecimento de Tomás, os pais, o tio paterno e amigos viajaram para a República Checa. A Universidade de Charles lamentou a morte precoce do jovem, numa nota publicada no site.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG