Igreja

Santuário diz que regresso do Papa a Fátima é uma "enorme alegria"

Santuário diz que regresso do Papa a Fátima é uma "enorme alegria"

O reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas, afirmou esta sexta-feira que é uma "enorme alegria" a presença do papa Francisco em Fátima, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2023 em Lisboa.

"É para nós motivo de enorme alegria esta afirmação do papa de que pretende vir a Fátima em 2023. Pretende voltar a Fátima, uma vez que tivemos a alegria de contar com a sua presença por ocasião do centenário, em 2017", afirmou Carlos Cabecinhas.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira, após uma audiência privada com o papa, na Cidade do Vaticano, que Francisco revelou que vai também visitar Fátima durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que decorre em Lisboa em 2023.

"Foi, como tinha sido há cinco anos [depois de Marcelo ter sido eleito pela primeira vez chefe de Estado], uma ocasião para ver como o papa está atento a tudo. [...] Falou, como é evidente, da ida a Portugal em 2023, a Lisboa e a Fátima - acrescentou logo - nas Jornadas Mundiais da Juventude", afirmou o Presidente da República.

Numa declaração enviada à Lusa, o reitor daquele templo mariano adiantou que, "saber hoje, depois do encontro com o senhor Presidente da República, que o papa pretende voltar a Fátima", por ocasião da JMJ, "é, de facto, motivo de grande regozijo e o santuário prepara-se, obviamente, para o receber de braços abertos".

O padre Carlos Cabecinhas adiantou que a JMJ "é já um horizonte que acompanha" toda a vida pastoral da instituição até 2023.

"A própria JMJ tem um tema mariano ['Maria levantou-se e partiu apressadamente'] e, por isso, nos diz muito e toca muito a vida do santuário", adiantou, destacando: "Esta é já a nossa opção pastoral para este período" até à JMJ que "se vê agora coroada com esta notícia".

PUB

"Para nós, significa também prepararmo-nos para o acolher da melhor forma e, sobretudo, para vivermos esse momento de forma intensa, ajudando os peregrinos a experimentar a proximidade não só de Maria, mas também a proximidade do sucessor de Pedro", acrescentou o reitor.

Em novembro de 2020, o Santuário de Fátima anunciou que iria sintonizar os próximos três anos da sua ação pastoral com a preparação da JMJ.

O papa Francisco esteve no Santuário de Fátima, pela primeira vez, em maio de 2017, numa visita de menos de 24 horas, para presidir às cerimónias do centenário dos acontecimentos de Fátima e à canonização de Jacinta e Francisco Marto, duas das crianças que em 1917 afirmaram ter visto Nossa Senhora na Cova de Iria.

Esta foi a sexta visita de um papa ao Santuário de Fátima. Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991 e 2000) e Bento XVI (2010) foram os anteriores pontífices a visitar Portugal.

A JMJ é o maior evento organizado pela Igreja Católica.

O anúncio da escolha de Lisboa para receber a JMJ foi feito em 27 de janeiro de 2019, na Cidade do Panamá.

Nesse dia, na sua conta no Twitter, o papa escreveu: "A vocês, queridos jovens, um muito obrigado por #Panama2019. Continuem a caminhar, continuem a viver a fé e a compartilhá-la. Até Lisboa em 2022".

Inicialmente prevista para agosto de 2022, a pandemia de covid-19 determinou o adiamento da JMJ um ano.

Portugal será o segundo país lusófono, depois do Brasil, a acolher uma Jornada Mundial da Juventude, criada em 1985 pelo papa João Paulo II (1920-2005).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG