Pandemia

Testes gratuitos em Rio Maior devido a aumento de casos de covid-19

Testes gratuitos em Rio Maior devido a aumento de casos de covid-19

A autoridade de saúde da Lezíria vai realizar, segunda-feira, testes covid-19 gratuitos à população de Rio Maior, concelho do distrito de Santarém considerado como de risco devido ao número de casos de infeção pelo novo coronavírus.

Carlos Ferreira, administrador executivo do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria, disse à Lusa que o aumento de número de casos, agravado no passado dia 23 de março com o aparecimento de um surto numa unidade fabril, com 40 pessoas infetadas, fez elevar o risco no concelho, já que este apresenta mais de 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Seguindo as orientações da Direção-Geral da Saúde, o ACES vai realizar, na segunda-feira, uma ação de testagem gratuita à população que o deseje e nas empresas do concelho, disse.

"Os interessados devem dirigir-se ao Centro de Testagem da Cruz Vermelha, no Pavilhão Multiusos de Rio Maior, munidos do Cartão de Cidadão, se forem cidadãos portugueses, ou de Título de Residência ou Passaporte se forem cidadãos estrangeiros", informa a Câmara de Rio Maior.

De quinta para sexta-feira foram confirmados mais 13 casos de covid-19 e colocadas mais 32 pessoas em vigilância ativa no concelho, segundo a informação disponibilizada pelo município.

O Centro de Testagem vai funcionar das 9 horas às 12 horas e das 13 horas às 17 horas, "não havendo marcações prévias, pelo que a testagem será feita por ordem de chegada", com a distribuição de senhas numeradas de forma a evitar aglomeração de pessoas, acrescenta, apelando ao cumprimento das normas de distanciamento e higiene.

PUB

Carlos Ferreira disse ainda à Lusa que a segunda fase de vacinação vai arrancar segunda-feira em todos os concelhos abrangidos pelo ACES Lezíria - Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém -, começando a ser chamados os utentes com idades entre os 50 e os 64 anos com comorbilidades e os que têm entre 65 e 79 anos, com ou sem doenças associadas, sempre que possível "a começar dos 79 anos para baixo".

Na área abrangida, a primeira fase, destinada à população com 80 e mais anos, "está praticamente concluída", faltando apenas algumas segundas doses, disse.

No fim de semana de 10 e 11 de abril, está prevista a vacinação de 4200 profissionais da área da educação, mais de 1200 dos quais serão inoculados no centro de vacinação instalado na Casa do Campino, em Santarém.

Um primeiro grupo de 1600 docentes e funcionários do pré-escolar e do primeiro ciclo foram convocados no fim de semana passado, tendo comparecido cerca de 90%, adiantou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG