Apoio social

Câmara de Almada investe 300 mil euros em cabazes para 700 moradores

Câmara de Almada investe 300 mil euros em cabazes para 700 moradores

A Câmara Municipal de Almada vai distribuir mensalmente cabazes alimentares no valor de 50 euros a 700 munícipes.

A medida tem duração de seis meses e surge em resposta ao aumento de pedidos de apoio por cidadãos que estão em lista de espera para o Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (POAPMC).

Inês de Medeiros, presidente da Câmara Municipal, diz que as pessoas não podem passar fome enquanto esperam pelos apoios da Segurança Social. "O objetivo é que, enquanto as pessoas esperam por entrar nos programas oficiais da Segurança Social, recebem este apoio e à medida que são aceites, podemos dar a outras pessoas", afirma.

O apoio será fornecido através das associações e instituições locais que têm protocolo com a Segurança Social para execução do POAPMC, e cessará aquando da admissão do agregado familiar ou pessoa no referido programa. Os beneficiários são cidadãos que perderam os rendimentos durante a pandemia, refere a autarca.

"O aumento de pedidos aconteceu durante o primeiro confinamento, mas quando a economia reabriu baixou e agora voltou a aumentar com maior relevo, o que significa que, provavelmente, são pessoas cujas reservas financeiras chegaram ao fim", explica Inês de Medeiros.

A medida surge integrada no Plano Almada Solidária, programa lançado em 2020 e considerada a maior iniciativa de âmbito social no concelho, com um investimento de cinco milhões de euros, até ao final de 2021.

O Plano possui três vertentes, como avança Inês de Medeiros, que salienta que a vertente da emergência social ganhou mais expressão devido à pandemia. "Este plano estruturante tem três eixos principais, o Almada Cuida que engloba as questões sociais da autarquia, o Almada mais Perto, com serviços de proximidade, e a linha Almada Emergência, que tem crescido mais com a pandemia", afirma a autarca.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG