O Jogo ao Vivo

Almada

Obras nos acessos às praias da Costa da Caparica já fazem desaparecer trânsito 

Obras nos acessos às praias da Costa da Caparica já fazem desaparecer trânsito 

As intervenções nos acessos à Costa da Caparica, o principal destino balnear da capital, já fazem desaparecer os engarrafamentos tão comuns durante os dias de calor. As obras ainda não estão concluídas, estão suspensas durante o verão, mas a paragem não interrompe ou condiciona o trânsito.

Em causa o reperfilamento da Estrada Florestal, o eixo utilizado no acesso às praias da Caparica e Fonte da Telha, bem como a construção de uma rotunda na entrada da Costa de Caparica, no troço final da via rápida IC20, a substituir o cruzamento com semáforos.

José Ricardo Martins, presidente da Junta de Freguesa da Costa da Caparica, afirma que "o trânsito já flui sem paragens e a situação está substancialmente melhor do que no ano passado. O grande teste vai ser em agosto, mas tudo aponta para uma mudança completa para quem se dirige à Caparica".

PUB

As obras arrancaram no final do verão passado e estariam prontas durante o mês de junho, mas imprevistos fizeram com que fossem adiadas. "Na construção da rotunda realizámos trabalhos na rede de abastecimento de água que não estavam previstos e nas obras da estrada florestal, vários calceteiros contraíram covid-19, levando a que houvesse atrasos na construção de ciclovias e passeios ao longo da estrada", diz José Ricardo Martins.

A Estrada Florestal já tem um novo piso longo de aproximadamente 4,6 quilómetros, entre a Praça Nossa Senhora dos Navegantes e o cruzamento no acesso à praia do Rei. Aqui há novas rotundas nas entradas de cada praia. Já há troços de ciclovias e passeios que não existiam, mas não estão concluídos devido à paragem nos trabalhos.

"Temos novos acessos de emergência, para combate a fogos e assistências nas praias", afirma o autarca, para quem a obra é "uma exigência" desde que chegou à junta, em 2014. A par desta obra de acesso às praias, a conclusão das obras na rotunda na entrada da Costa da Caparica está prevista para novembro, depois da época balnear. A rotunda surge com os objetivos de "retirar a carga de trânsito no único acesso para quem vem de Lisboa e dignificar a entrada da cidade", afirma José Ricardo Martins.

2800 milhões de euros

O reperfilamento da Estrada Florestal tem um custo de 2500 milhões de euros e foi reconhecida como ação de relevante interesse público pelo Ministério do Ambiente. A nova rotunda no acesso à Costa da Caparica tem um custo de 300 mil euros. As duas obras estão a cargo da câmara municipal de Almada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG