Premium

"Se não nos unirmos, nada vai acontecer", diz moradora do bairro da Jamaica

"Se não nos unirmos, nada vai acontecer", diz moradora do bairro da Jamaica

Moradores do Bairro da Jamaica desmentem versão da PSP e asseguram que a violência policial é comum.

"Enquanto os agentes que pontapearam uma senhora indefesa de 62 anos, como se de lixo se tratasse, continuarem a trabalhar, vamos continuar a manifestar-nos". Foi assim que os moradores, essencialmente jovens, do Bairro da Jamaica, no Seixal, abordaram na tarde de terça-feira a onda de violência em vários pontos de Lisboa e Setúbal, motivada pelos conflitos da manhã de domingo entre a PSP e moradores do bairro.

"Não é só o Bairro da Jamaica que está inconformado com o que aconteceu no domingo. Todos os bairros onde há violência policial estão contra o uso de força excessiva e abuso das autoridades", diz Higina Coxi, moradora que no domingo se envolveu numa cena de pancadaria com outras mulheres, o que motivou a presença da PSP. A sua familiar, Aurora Coxi, também esteve envolvida nas agressões.