Sesimbra

Música solidária pela reabilitação do Cabo Espichel

Música solidária pela reabilitação do Cabo Espichel

Em defesa da requalificação do Cabo Espichel, em Sesimbra, 14 bandas de música vão actuar graciosamente a 10 de Setembro, num concerto intitulado “Músicas pelo Espichel”.

A propósito da comemoração dos 600 anos do monumento, um cidadão criou um movimento que tem promovido diversas actividades, desde exposições a palestras dedicadas ao Cabo Espichel. O objectivo é dinamizar o espaço e alertar as entidades competentes para o abandono a que tem sido votado nos últimos anos. “Há uma certa inércia ao longo dos anos. Está num estado que até mete dó. O que queremos mostrar é que o Cabo Espichel não é apenas uns arquinhos com uma cruz no meio”, realça Carlos Sargedas, o impulsionador do grupo criado no Facebook, que já tem mais de três mil membros.

Lamentando que os sesimbrenses não tenham, contudo, participado activamente nas iniciativas, Carlos Sargedas enaltece o facto de os esforços feitos já estarem a dar frutos. “De um ano para o outro aumentou bastante o movimento e os antigos sírios estão a voltar ao Cabo Espichel. Ao fim destes anos todos vêm fazer duas procissões”, adianta, frisando que o monumento “está abandonado porque o Estado o quer”.

Com início marcado para as 18 horas e entrada gratuita, o concerto, que conta com a participação de bandas conhecidas como os UHF e os Alcoolemia, é a actividade mais visível deste movimento. Tudo está a ser organizado por voluntários com alguns a despenderem do seu próprio dinheiro.

“Há um investimento muito grande de muitas pessoas”, realça Carlos Sargedas, dando o exemplo da empresa que vai ceder o palco e todo o material para que a música se oiça no Cabo Espichel. “Se não fosse assim, era impensável”, garante, assumindo ter gasto já milhares de euros. “Ter duas a três mil pessoas seria fantástico”, remata.