Energia

Demolidas chaminés de antiga central termoelétrica sob forte aparato policial em Setúbal

Demolidas chaminés de antiga central termoelétrica sob forte aparato policial em Setúbal

As duas chaminés da desativada Central Termoelétrica da EDP em Setúbal foram demolidas ao início da tarde deste domingo com um forte aparato policial nas vias de acesso ao local para impedir a afluência de curiosos.

A demolição deu-se em pleno estado de emergência por questões de segurança, tendo em conta a estrutura das chaminés e materiais utilizados.

Durante as horas que antecederam a operação, GNR e PSP bloquearam os acessos rodoviários aos locais mais próximos da explosão, principalmente à localidade de Praias do Sado, onde no passado dia 6 de março, várias centenas de pessoas se juntaram.

A operação de demolição das duas chaminés com 200 metros de altura começou a ser preparada há ano e meio. Ao todo foram usados cerca de 400 quilos de explosivos, distribuídos por cada uma das duas chaminés.

A EDP pretende que os terrenos da antiga Central Termoelétrica de Setúbal possam vir a acolher um "projeto sustentável no futuro, um projeto que faça parte da transição energética". "Não temos ainda um projeto definido, mas gostaríamos muito que pudesse ser, por exemplo, um parque solar", explica Rui Teixeira, presidente da EDP Produção, em nota enviada às redações.

Até 2021 decorrem os trabalhos de descontaminação dos terrenos e desmantelamento total do equipamento. Construída no final da década de 70 do século passado, a Central Termoelétrica de Setúbal, localizada na península da Mitrena, esteve mais de 30 anos em funcionamento, desde 1978 a 2013, estava equipada com quatro grupos de geradores e chegou a abastecer 25% da população portuguesa em território continental.

A operação devia ter ocorrido a 6 de março, mas foi suspensa porque, segundo a empresa, "houve um problema de comunicação com um detonador e, como tinha que ser verificado, os técnicos consideraram mais seguro o seu cancelamento", avançou fonte da EDP à Lusa na semana passada.

Outras Notícias