Setúbal

Hospital pede desculpa a utente por barata na comida

Hospital pede desculpa a utente por barata na comida

Refeição servida a mulher em recuperação pós-parto tinha um inseto morto. Reconhecimento da falha não apaga a imagem: "nunca mais lá como", garante.

Carla Neto, 38 anos, teve o segundo filho no Hospital de São Bernardo e enquanto permanecia em recuperação pós-parto foi-lhe fornecida uma refeição que continha uma barata morta. O caso remonta ao almoço de 31 de julho no serviço de obstetrícia. Na sexta-feira, o Centro Hospitalar de Setúbal (CHS) endereçou um pedido de desculpa à utente, residente em Almada.

O CHS explicou à utente, tal como em esclarecimentos ao JN, que "foram tomadas de imediato as medidas necessárias junto da empresa concessionária responsável pela confeção e distribuição da alimentação, no sentido de se averiguar em que circunstâncias ocorreu este incidente".

A 1 de agosto, data da alta hospitalar de Carla Neto e dia da denúncia feita pela mesma nos serviços hospitalares, foi realizada uma desinfestação urgente pela empresa concessionária, conforme se lê no ofício do hospital à utente. Ainda assim, o pedido de desculpa e medida tomada não são suficientes para que a almadense volte a comer no hospital se, por ventura, tiver que ficar lá internada. "Eu só fui para Setúbal porque o Hospital Garcia de Orta estava lotado, mas se no futuro lá voltar, não vou conseguir comer nenhuma refeição", garante. "Foi o meu marido que me trouxe o jantar de 31 de julho e, no dia seguinte, tive alta antes da hora de almoço", lembra.

O JN questionou a Administração do CHS sobre se a concessão estaria posta em causa devido ao incidente, mas não obteve resposta sobre o tema.

Outras Notícias