Setúbal

Mais de 20 homens ainda no rescaldo do incêndio em armazém de enxofre

Mais de 20 homens ainda no rescaldo do incêndio em armazém de enxofre

Mais de 20 homens e 11 veículos permanecem no armazém da Sapec Agro, em Mitrena (Setúbal), que ardeu na quarta-feira, um incêndio que obrigou as populações de algumas localidades a ficar em casa devido à poluição do ar.

Segundo o Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS), o incêndio está dado como dominado, desde terça-feira, mas no local permanecem ainda em operações de rescaldo elementos dos bombeiros de Palmela, dos Sapadores de Setúbal e da GNR.

O incêndio, que deflagrou cerca das 3 horas de terça-feira num armazém de produtos de enxofre, um produto abrasivo e tóxico, provocou ferimentos ligeiros em seis bombeiros.

A poluição do ar obrigou as autoridades a aconselhar as populações das freguesias de Praias do Sado e Faralhão e, mais tarde, da freguesia de Gambia, Pontes e Alto da Guerra a ficarem em casa.

A qualidade do ar na zona de influência do incêndio acabou por ficar restabelecida na noite de terça-feira, segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), que explicou que o fogo fez libertar para a atmosfera dióxido de enxofre.

O poluente foi "monitorizado em contínuo através das estações de qualidade do ar existentes no território nacional", explicou a APA num comunicado emitido na noite de terça-feira, acrescentando que devido aos ventos a nuvem poluente foi arrastada para norte, atravessou a Reserva Natural do Estuário do Sado e atingiu a zona de Vila Franca de Xira.

Em Vila Franca, na estação de Alverca, registaram-se entre as 8 e as 12 horas, valores elevados de concentração de dióxido de enxofre, com um pico às 11 horas.

Fonte da Direção-Geral da Saúde tinha sito à agência Lusa que até meio da manhã de terça-feira os valores registados não tinham excedido os de referência.

A APA estima que os níveis elevados de dióxido de enxofre na proximidade da fábrica tenham acontecido durante a noite de segunda para terça-feira (o incêndio deu-se às 3 horas), o que terá diminuído a exposição das pessoas ao poluente.

E garante que desde as 14 horas os valores observados nas estações fixas de qualidade do ar "decresceram significativamente, encontrando-se a situação controlada".

Outros Artigos Recomendados