Setúbal

Vinte pessoas, incluindo quatro crianças, afetadas por nuvem de enxofre

Vinte pessoas, incluindo quatro crianças, afetadas por nuvem de enxofre

Vinte pessoas, incluindo quatro crianças e dez bombeiros, sofreram lesões devido à nuvem tóxica causada pelo incêndio nos armazéns da Sapec Agro, na Mitrena, Setúbal.

As informações foram prestadas, esta quinta-feira, em conferência de imprensa na Direção-Geral da Saúde (DGS), após as 11 horas, na qual foi adiantado que todas as vítimas já tiveram alta clínica, à exceção de uma criança que deu entrada no hospital esta manhã.

As autoridades referiram que, neste momento, não há emissão de dióxido de enxofre e que não se justificam as medidas de proteção à população, anunciadas na quarta-feira.

De acordo com a informação prestada aos jornalistas pelo presidente do INEM, Luis Meira, as concentrações de dióxido de enxofre atualmente registadas "estão abaixo dos limites legais estabelecidos" e "não há risco para a saúde humana".

O incêndio foi declarado extinto esta manhã. "Já concluímos a cobertura de toda a zona ardida com areia para abafar o incêndio, mas vamos permanecer no local mais algumas horas enquanto decorre a remoção do que ainda resta da estrutura metálica dos armazéns", disse à agência Lusa o comandante dos Bombeiros Sapadores de Setúbal. Paulo Lamego, ao início da manhã.

O incêndio nos armazéns de enxofre da Sapec, de origem ainda desconhecida, causou uma nuvem de dióxido de enxofre, que devido ao vento foi empurrada para norte.