Setúbal

Família de javalis faz nova "visita" ao Portinho da Arrábida

Família de javalis faz nova "visita" ao Portinho da Arrábida

Os avistamentos de javalis nas praias da Arrábida aumentaram no início do ano. Num vídeo publicado nas redes sociais, podem-se ver os animais à procura de alimento no parque de estacionamento do Portinho da Arrábida, passando junto a turistas.

O vídeo foi filmado na segunda-feira e este domingo, os mesmos animais foram avistados na estrada nacional, no acesso à praia. De acordo com Pedro Vieira, presidente do Clube da Arrábida, trata-se de uma família composta por duas fêmeas e três crias que nasceram no final de dezembro e percorrem as praias entre Alpertuche e o Portinho da Arrábida em busca de alimentos.

"Estes animais estão já habituados à presença humana e por isso deixam-se avistar durante o dia, mas apesar de se mostrarem aparentemente inofensivos, são animais selvagens que podem atacar se sentirem ameaçados e ou se sentirem que as suas crias estão ameaçadas".

Pedro Vieira realça que apesar de ser sempre a mesma família de javalis a ser avistada durante o dia, há muitos mais que percorrem a serra à procura de alimento durante a noite. "Basta percorrer a estrada para ver as bermas escavadas pelos animais à procura de alimento".

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), em informação avançada perante avistamentos de javalis na Arrábida em 2017, alertava para os perigos da convivência de javalis com seres humanos, principalmente nos cuidados a ter perante este animal selvagem.

"Mesmo mais habituado à presença humana, o javali não deixa de ser um animal selvagem. Há cuidados a ter tais como não se aproximar, não procurar o contacto, e especialmente não dar comida. É um animal que em algumas situações se pode revelar extremamente agressivo, em especial as fêmeas com crias que podem investir perante qualquer ameaça à sua prole, inclusive contra o ser humano. São conhecidos casos em que os animais podem ter comportamentos bruscos (e mesmo ataque em defesa) pelo que a preocupação deve ser constante", lia-se no comunicado.

As entidades com jurisdição no Parque Natural da Arrábida firmaram em 2018 um plano de ação para controlar o que consideram a densidade populacional desta espécie, mas de acordo com Pedro Vieira, "pouco ou nada tem sido feito".

O plano aponta para a colocação de placards em zonas onde são avistados os javalis com informações relativas ao que fazer perante a presença deste animal selvagem, a criação de uma rede de caixotes do lixo que não permitam o acesso aos javalis, a implementação de sistema de recolha eficiente e a emissão de credenciais para caça aos javalis em propriedades privadas prejudicadas pelos animais.

"As emissões de credenciais estão a ser feitas e há em algumas praias caixotes de lixo enterrados que não permitem acesso ao javali, mas continuam-se a ver nas praias os sacos de plástico tradicionais, não há informação nenhuma aos turistas, nem houve qualquer ação de captura este inverno através da colocação de armadilhas", afirma o presidente do Clube da Arrábida.