Arcos de Valdevez

Cabras mortas por raio. Governo invoca "força maior" para evitar penalização a pastor

Cabras mortas por raio. Governo invoca "força maior" para evitar penalização a pastor

O Ministério da Agricultura decidiu tratar o caso do pastor de Arcos de Valdevez que perdeu 68 cabras como "de força maior" para evitar a penalização no pagamento de ajudas a produtores agrícolas e pecuários.

Em comunicado, o Ministério da Agricultura explicou "que, depois de avaliados todos os instrumentos disponíveis, o acontecimento que ocorreu na passada sexta-feira, e que resultou na morte de 68 cabras de raça Bravia no concelho de Arcos de Valdevez [distrito de Viana do Castelo], está a ser tratado pelo Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP) no âmbito dos regimes de ajuda aos produtores agrícolas e pecuários, como um caso de força maior".

"Este regime determina que a redução do efetivo de caprinos do produtor em causa não resultará em qualquer tipo de penalização no pagamento das ajudas a que se candidatou, nomeadamente na atribuição do prémio para ovinos e caprinos, no apoio à manutenção de Raças Autóctones e no apoio à manutenção da atividade agrícola em zonas desfavorecidas", refere a nota do ministério.

Na sexta-feira, cerca das 15 horas, um raio matou 68 cabras de raça bravia de Dario Gonçalves de Lima.

O pastor, de 53 anos, andava com o rebanho, composto por cerca de 350 cabras, pelos montes de Gondoriz, em Arcos de Valdevez.

Segundo o Ministério da Agricultura, "os serviços regionais, designadamente a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte e a Direção Geral de Alimentação e Veterinária, têm estado em contacto permanente com o produtor e com as autoridades locais, mostrando disponibilidade para prestar todo o apoio que se revele necessário".

PUB

Na terça-feira, a Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) abriu uma conta bancária para juntar os contributos daqueles profissionais e da sociedade civil e ajudar o pastor.

"Tem de ser feito também um esforço para conseguir arranjar criadores que tenham cabras desta raça para poder repor o efetivo perdido até ao dia 30, o prazo limite determinado pelo IFAP - Instituto de Financiamento da Agricultura para a contabilização do efetivo para a atribuição das ajudas financeiras", afirmou à agência Lusa o bastonário Jorge Cid.

Na altura, o responsável explicou que sem a reposição do efetivo até ao dia 30, o pastor Dário Lima "perde aproximadamente mil euros de ajudas diretas e não consegue candidatar-se às medidas agroambientais de apoio às raças autóctones".

"Nos próximos dois anos perde um valor aproximado de quatro mil euros. São 10 dez mil euros de prejuízo provocado por um evento meteorológico inédito e que tem um impacto tremendo na atividade e condições económicas do Dário Gonçalves Lima", referiu o bastonário.

Câmara de Arcos de Valdevez vai cobrir verba para repor rebanho

O presidente da Câmara de Arcos de Valdevez disse esta quarta-feira à Lusa que o município irá "cobrir" o montante necessário para que o pastor Dario Lima possa repor as 68 cabras mortas por um relâmpago.

"A Câmara irá apoiar economicamente o pastor Dario Lima para que possa repor o seu rebanho. Estamos a apelar aos produtores e a outras partes envolvidas para ajudarem o pastor a repor o seu rebanho", afirmou o social-democrata João Manuel Esteves.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG