Arcos de Valdevez

Câmara abre inquérito a morte de funcionário durante ação de limpeza

Câmara abre inquérito a morte de funcionário durante ação de limpeza

O presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, anunciou a abertura de um inquérito às causas do afogamento de um funcionário, de 57 anos.

O autarca social-democrata informou que, em coordenação com a Autoridade Para as Condições de Trabalho (ACT), vai ser realizado um inquérito para apurar as causas do acidente que vitimou um funcionário da equipa de cantoneiros que, esta quarta-feira de manhã, procedia a trabalhos de limpeza da praia fluvial da Valeta.

João Manuel Esteves adiantou ter apresentado "as condolências à mulher e à filha do funcionário da autarquia, a quem está a ser prestado todo o apoio psicológico, e será garantido outro apoio que aquelas venham a necessitar".

O funcionário da Câmara morreu afogado no rio Vez quando procedia à limpeza do açude daquele curso de água.

Segundo o comandante dos Bombeiros de Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães, o homem "não sabia nadar" e não estava equipado com colete salva vidas, sendo que "também não usava linha de vida", um equipamento de segurança no trabalho.

"Os colegas aperceberam-se que tinha caído, atiram-se ao rio mas não o conseguiram localizar, porque as águas estavam muito turvas devido aos trabalhos de limpeza em curso", explicou o comandante dos bombeiros de Arcos de Valdevez.

De acordo com o Filipe Guimarães, o homem, natural da freguesia de Rio Frio trabalhava para a autarquia "há muitos anos".

O alerta foi dado cerca das 9.57 horas.

Ao local compareceram 11 operacionais e quatro viaturas dos bombeiros, ambulância de Suporte Imediato de Vida e a GNR.