Caminha

Arte sobe à Serra d'Arga no verão há 23 anos

Arte sobe à Serra d'Arga no verão há 23 anos

A exposição "Arte na Leira", que decorre por estes dias até 22 de agosto em casa do artista Mário Rocha, na aldeia de Arga de Baixo, em Caminha, já se reedita há 23 anos consecutivos.

Este ano há para ver, nos espaços interiores e exteriores da agora residência do pintor e ceramista, obras da autoria de 27 artistas nacionais e estrangeiros (incluindo alunos do Instituto Politécnico de Viana do Castelo) e também de três crianças.

A 23.ª edição da Arte na Leira começou a 17 de julho, após uma edição em 2020 "com uma procura acima do habitual, apesar da pandemia". E continua a atrair cada vez mais visitantes.

"Já tinha feito exposições na Alfândega do Porto e de manhã não entrava ninguém, muito menos famílias, e aqui entram. Tem piada porque são pessoas que vêm da cidade. Não sei, talvez por ser terra haja mais ligação às pessoas", comentou o artista referindo que, por estes dias, tem sido "sempre uma correria de gente" na sua "Casa do Marco", em plena aldeia de Arga de Baixo.

Mário Rocha, de 66 anos, tem na sua sala uma parede repleta de fotografias suas ao lado de músicos como Pedro Abrunhosa e Gil do Carmo, de políticos como Cavaco Silva, Jorge Sampaio e Marcelo Rebelo de Sousa e do escritor José Saramago.

A Arte na Leira nasceu em 1999 após uma exposição de pintura do artista em Bruxelas, com cerca de 20 telas, que "eram a sobreposição de imagens urbanas da Ribeira do Porto com pessoas da Serra d'Arga". "Nesse ano, depois disso, lembrei-me de fazer aqui uma exposição para mostrar um bocado às pessoas de cá o que é que eu fazia, porque pensavam que eu era pintor da construção civil", lembrou, acrescentando que lhe chegaram a pedir "um orçamento para pintar uma cozinha".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG