Ambiente

Luta contra o lítio na Serra d'Arga intensifica-se

Luta contra o lítio na Serra d'Arga intensifica-se

O presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves (PS), apelou, esta terça-feira, à união de autarcas e população na luta com a prospeção e exploração de lítio no Alto Minho. E afirmou que o processo em curso de classificação da Serra d'Arga, como Área de Paisagem Protegida de âmbito regional, tomará a dianteira a qualquer projeto de mineralização naquele território.

"O que pergunto é: quem se atreverá, se os municípios reunirem todas as condições para proteger esta área, a dizer que não nos atribuem classificação, porque querem aqui fazer explorações de minério e de lítio. Quem se atreverá?", declarou o autarca, que falava no final de uma sessão de apresentação de um trabalho de caracterização que servirá de base à proposta de classificação da serra, onde foi questionado pelo porta-voz de um dos movimentos de luta, SOS Serra d'Arga, Carlos Seixas.

Na mesma sessão, representantes das Câmaras de Viana, Ricardo Carvalhido (PS), e de Ponte de Lima, Paulo Barreiros (CDS-PP) sublinharam o apelo feito pelo socialista. Segundo Miguel Alves, a zona pretendida para exploração de minerais naquela região engloba os municípios de Caminha, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura, Viana do Castelo e Ponte de Lima.

"A posição que as autarquias tomarem não é vinculativa. Agora se os cinco municípios estiverem juntos e fortes, é muito difícil sermos batidos pelo lítio", declarou, comentando: "As mobilizações que existem em torno desta questão do lítio são bem-vindas para nos ajudar a defender a Serra d'Arga".