Premium

Pesca da lampreia à margem da lei

Pesca da lampreia à margem da lei

Dois terços, pelo menos, da lampreia capturada no rio Minho não são declarados em lota pelos pescadores. Esta é uma realidade de há muito, reconhecida pela própria classe e pela autoridade marítima.

Segundo a Associação de Profissionais de Pesca do Rio Minho e do Mar, as 26 010 lampreias declaradas em 2018 representam "apenas 20%" do total de capturas realizadas pelas cerca de 160 embarcações licenciadas. O que, feitas as contas, resultou, no mínimo, em "mais de um milhão de euros" de pescado vendido por fora. Para garantir a renovação das licenças, os pescadores declaram os mínimos obrigatórios por lei.

"Faça a conta a quanto dá 26 mil lampreias a dividir por 160 barcos. Se em quatro meses de pesca (janeiro a abril) cada embarcação só pescasse em média 162 lampreias, a 15 euros cada uma, que foi o preço médio de venda em 2018, veja lá, não chega a 2500 euros por ano. Isso nem sequer dava para o gasolina", disse, ao JN, o presidente da associação.