Monção

Câmara de Monção volta a ligar iluminação pública nas freguesias dois anos depois

Câmara de Monção volta a ligar iluminação pública nas freguesias dois anos depois

O autarca de Monção anunciou hoje que a iluminação pública nas freguesias voltará a ser ligada este ano, durante a madrugada, dois anos depois de o executivo ter avançado com o corte, perante as críticas da população.

A decisão de retomar a iluminação pública nas 24 freguesias foi tomada após uma reunião entre o executivo, agora liderado pelo socialista Augusto Domingues, e os presidentes de junta de concelho, realizada terça-feira, à noite.

"A maioria dos presidentes entende que devemos voltar a ligar a iluminação, o que vai acontecer ainda este ano. No próximo ano avançaremos com um plano para substituir as velhas lâmpadas por outras, de tecnologia LED, de baixo consumo", explicou Augusto Domingues.

A Câmara de Monção estima que com a interrupção parcial da iluminação pública entre as 01:30 e as 05:00, desde janeiro de 2012, tenha gerado uma poupança anual de 200 mil euros, verba que foi distribuída pelas Juntas de Freguesia.

"Obviamente que ao voltar a contar como uma despesa, essas transferências vão deixar de ser feitas. Estamos a falar de mais de 6.000 euros por mês para cada freguesia", sublinhou o autarca, eleito a 29 de setembro mas que nos últimos 16 anos foi vice-presidente da Câmara.

A medida foi explicada pelo executivo, há dois anos, como forma de "reduzir os custos da autarquia com a energia elétrica", mas "mantendo o essencial com níveis de segurança, qualidade e eficácia".

O PS lidera a Câmara de Monção há 16 anos, até 2013 com sucessivas maiorias absolutas.

Contudo, em 2013, na primeira candidatura como cabeça-de-lista, o socialista Augusto Domingues, venceu a autarquia apenas com mais três votos que a lista do PSD, tendo formado um executivo minoritário.

"Provavelmente foi uma medida mal explicada à população. Mas nesta discussão nem todos os presidentes de Junta concordaram com o restabelecimento da iluminação", apontou o autarca socialista.

Anteriormente, Augusto Domingues tinha já admitido que o corte na iluminação pública terá estado na origem da redução da votação do partido para a Câmara, que caiu para metade face a 2009.

O restabelecimento da iluminação pública, explicou ainda, deverá ser aprovada na próxima reunião do executivo camarário, através da "fusão" das propostas do PS, do PSD e CDS-PP, que defenderam a mesma medida durante a campanha eleitoral.

Além da implementação, em 2014, de lâmpadas de baixo consumo, a Câmara prevê avançar igualmente com uma reestruturação dos pontos de iluminação, seguindo as indicações dos autarcas locais, numa "lógica de poupança".