Tradição

Vitória de S. Jorge em combate mais duro que o habitual augura boas colheitas

Vitória de S. Jorge em combate mais duro que o habitual augura boas colheitas

Tradição do Corpo de Deus em Monção repetiu-se mais uma vez, augurando bom ano agrícola.

Foi um combate mais duro e prolongado que o habitual, mas no final venceu quem o público esperava que vencesse. O cavaleiro S. Jorge derrotou, em 11 minutos, o dragão Coca, em mais uma edição das Festas do Corpo de Deus de Monção, quinta-feira.

Dita a tradição secular que o cavaleiro que representa o Bem, vença o Mal, enfiando-lhe três vezes a lança nas goelas e depois cortando-lhe uma orelha, para que as próximas colheitas agrícolas sejam boas. E em terra de Alvarinho, que o ano seja de bom vinho. Assim foi.

O combate começou (com atraso) às 19.36 horas, já com o anfiteatro natural do Campo do Souto, apinhado de gente, e terminou às 19.47 horas, após inúmeras investidas de S. Jorge contra a besta. Houve espetáculo, com o cavalo branco "Arinto", que se estreou nas lides contra o Mal, a levantar as patas dianteiras do chão por duas vezes. O público rejubilou. E aplaudiu e clamou por S. Jorge depois em modo de incentivo ao cavaleiro, quando este se viu em apuros para conseguir cortar com a sua espada a orelha ao dragão.

O objetivo foi conseguido em 11 minutos, mas com uma pequena ajuda de um dos homens que conduziam a Coca. Colocou uma das orelhas de lata do bicho a jeito, para lhe facilitar a vida. Entre a assistência houve quem apupasse o ato, mas com a vitória do Bem logo de seguida, depressa a situação foi esquecida.

"O combate foi duro, mais até do que o habitual, mas mais uma vez veio dizer que Monção está no bom caminho", referiu o presidente da Câmara de Monção, António Barbosa, comentando: "Os augúrios e os tempos que se avizinham para esta terra linda do Alto Minho são bons. O S. Jorge veio aqui dar uma mão, dizendo que podemos estar sossegados".

Televisão holandesa
Uma estação de televisão da Holanda está em Monção em filmagens para um documentário, porque naquele país existe uma tradição semelhante ao combate da Coca e do S. Jorge.

Cavaleiro
Cândido Rodrigues é o homem que monta o cavalo para combater o mal no Campo do Souto, às portas da vila de Monção. Este ano estreou um novo animal, que esteve à altura do evento.