Paredes de Coura

Fábrica de vacinas injeta 4,3 milhões de euros em redes de água e gás

Fábrica de vacinas injeta 4,3 milhões de euros em redes de água e gás

As empresas Águas do Norte e Portgás vão investir cerca de 4,3 milhões de euros na construção de novas redes de abastecimento de água e gás natural, que vão servir a fábrica de vacinas da Zendal, instalada na zona industrial de Formariz, em Paredes de Coura.

As obras vão decorrer até ao verão e implicam a instalação de alguns quilómetros de condutas e infraestruturas, apenas para abastecer a nova unidade, cuja entrada em atividade deverá acontecer ainda em 2022.

Oficialmente, o grupo galego Zendal, com sede em Porriño, indica que a fábrica estará concluída no final do ano, mas o Presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vitor Paulo Pereira, acredita que a produção de vacinas possa começar mais cedo. "Neste momento a fábrica está em testes e podemos chegar ao final do ano e estar a produzir, mas também não será surpreendente se em julho ou agosto os primeiros lotes de vacinas possam sair de Formariz", disse, mostrando-se também otimista quanto a futuros novos investimentos daquele fabricante de vacinas veterinárias e humanas.

PUB

"Estão previstas outras unidades, ligadas também à produção de vacinas, e também a construção de um laboratório de controlo de qualidade e de um armazém. Já há contactos para implantação de novos investimentos, que brevemente poderão ser anunciados", afirmou, manifestando contentamento com um projeto industrial que vai injetar "vitalidade" àquele concelho do interior.

Entretanto, a reboque do projeto industrial da Zendal, que representa um investimento de 22 milhões de euros, a Portgás está a investir um milhão de euros em infraestruturas para levar o gás natural pela primeira vez a Paredes de Coura.

"Só para aquele caso [fábrica da Zendal], estamos a falar de cerca de um milhão de euros para uma extensão de rede de seis quilómetros, para fazer chegar a rede de transporte até àquela unidade fabril. E estamos a falar de seis milhões de metros cúbicos em velocidade de cruzeiro, apenas para aquela indústria", resumiu o administrador da Portgás, Nuno Mendes. "Dado o interesse do projeto, foi instalada uma unidade autónoma, que já está a funcionar para fazer o abastecimento provisório da fábrica", acrescenta. "Prevemos ter concluída, se as cadeias de abastecimento nos ajudarem, a obra de construção da rede infraestruturante até ao terceiro trimestre de 2022", declarou, adiantando que, numa segunda fase, a Portgás prevê ainda investir "mais três milhões de euros" para construir 10 quilómetros de rede de forma a garantir a chegada do gás natural à sede do município. "Dos 29 concelhos que temos atribuídos ao nível do regime de concessão, 28 já estavam abastecidos. O único que ainda não estava era Paredes de Coura", disse.

O consumo de água da fábrica da Zendal, que em plena laboração poderá atingir em média "180 metros cúbicos por dia", implicou a construção de novas infraestruturas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG