Protestos

Autarcas portugueses e galegos exigem obras de 15 milhões para melhoria de via na fronteira

Autarcas portugueses e galegos exigem obras de 15 milhões para melhoria de via na fronteira

Cerca de dezena e meia de municípios portugueses e galegos estiveram hoje representados num protesto em Ponte da Barca, para exigir a melhoria da via que atravessa a fronteira da Madalena.

Em causa está, segundo os autarcas, um investimento de cerca de 15 milhões de euros para correção de problemas nos cerca de 60 quilómetros de estrada entre a saída do IC28 em Ponte da Barca e a localidade de Celanova na Galiza, que liga às autoestradas AG31 e A52, dando também acesso ao AVE (comboio de Alta Velocidade) espanhol em Ourense.

Os manifestantes assinaram uma carta de "sensibilização" dirigidas aos Governos centrais de Portugal e de Espanha, e reclamaram que o tema seja incluído na próxima cimeira ibérica a realizar em outubro.

PUB

"Há política de coesão, há fundos, só falta uma coisa que é o que nós queremos que aconteça na próxima cimeira: vontade política para executar este pedaço de estrada", afirmou João Esteves, presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, referindo que o que está em causa "não é uma nova via, nem uma autoestrada, mas a melhoria da estrada [existente]". "Queremos que melhore, que seja mais rápida e mais segura", adiantou o autarca, indicando que a obra reclamada tem por objetivo "melhorias de curvas, de zonas de lentos e de atravessamentos de aglomerados urbanos". "São 15 milhões de euros. Nos mil milhões dos PRR ou das bazucas desta vida, o que estamos a discutir é muito pouco para algo que pode transformar completamente toda uma região", considerou.

Presentes esta manhã na fronteira da Madalena, estiveram autarcas ou respetivos representantes de municípios abrangidos pela CIM Alto Minho e pela Deputacion de Ourense. Juntos argumentaram que o melhoramento da via daquele ponto da raia beneficiará em primeira instância "meio milhão de habitantes" entre as regiões de Viana do Castelo e Ourense, mas também uma eurorregião "com seis milhões".

A alcaldesa de Lobios (Galiza), Maria do Carmen Yañez, considerou que aquela é uma antiga reivindicação dos dois lados da fronteira que nunca foi ouvida. "Temos sido discriminados ao longo do tempo. Estamos aqui para exigir que nos escutem", afirmou.

O autarca de Ponte da Barca, Augusto Marinho recordou que as estradas nacionais 203 e 304, que ligam num só percurso a sede daquele município português ao de Lóbios, na Galiza, data da década de 80 do século passado e "é muito sinuosa e perigosa". E estima-se que aquele ponto da raia seja atravessado por "cerca de quatro mil veículos por dia, na sua esmagadora maioria pesados de transporte de mercadorias".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG