O Jogo ao Vivo

Incêndios

Dois meios aéreos para controlar fogo no Parque Nacional da Peneda-Gerês

Dois meios aéreos para controlar fogo no Parque Nacional da Peneda-Gerês

Dois meios aéreos foram ativados para combater o incêndio que lavra desde terça-feira à noite na área do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG). O incêndio deflagrou cerca das 23 horas em Cidadelhe, Lindoso, e alastrou já esta quarta-feira a Mosteirô, lugar da freguesia vizinha de Britelo.

Durante a noite passada, foram retirados de casa moradores da aldeia de Mosteirô, por precaução e estratégia de combate ao fogo, que, de acordo com o site da Proteção Civil, estava a mobilizar, cerca das 14.20 horas, 81 operacionais, apoiados por 22 veículos e dois meios aéreos.

Segundo declarou ao "Jornal de Notícias" o comandante dos Bombeiros de Ponte da Barca, ao início desta tarde, as chamas atingiam uma área extensa, numa zona de difícil acesso em Mosteirô e estavam a ser combatidos "com meios apeados e à distância", devido às temperaturas extremas que se fazem sentir no local.

PUB

"Estamos a aguardar a chegada dos meios aéreos. Em princípio, virão dois Alfa para ajudar no combate. Temos neste momento [cerca das 13 horas] uma frente ativa em Mosteirô. Não há neste momento populações em risco", afirmou José Freitas, referindo que há aglomerados populacionais na zona envolvente, como Paradamonte, mas que "o fogo ainda está longe".

O responsável confirmou que, "durante a noite, houve necessidade de retirar 29 pessoas do lugar de Mosteirô, por precaução". "Os combatentes quiseram retirar toda a gente das habitações e conseguiram fazer o combate sem que houvesse danos. Nenhuma casa foi atingida. Felizmente correu bem", contou José Freitas, com a voz sumida pelo cansaço. "As temperaturas estão altíssimas. Não sei precisar os valores, mas está muito calor", comentou.

"Neste momento, o incêndio não está dominado. Estamos a fazer combate. Temos os combatentes todos na linha de fogo e em algumas reativações que aparecem ainda no perímetro do incêndio. Os trabalhos estão a decorrer normalmente. Acho que vai correr bem", concluiu.

As aldeias atingidas situam-se em território do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG