Ponte de Lima

Dez Municípios unidos em nova associação nacional dedicada aos cavalos

Dez Municípios unidos em nova associação nacional dedicada aos cavalos

Cerca de uma dezena de municípios portugueses com ligação ao mundo dos cavalos acordaram, esta sexta-feira, em Ponte de Lima a criação de uma associação nacional que os represente. O projeto nasceu de uma reunião em que estiveram presentes representantes de autarquias como Golegã, Barcelos, Alter do Chão, Ponte de Lima, Esposende, e também da Federação Equestre Portuguesa.

Do encontro sairá agora um memorando, que dará o tiro de partida à nova agremiação, cujo objetivo passa por unir esforços e ganhar escala em prol do incremento da atividade equestre em Portugal.

"Fizemos hoje de manhã uma reunião com alguns municípios que estão também interessados como nós, naquilo que é a fileira do cavalo e na sua importância para os territórios, com o intuito de tentarmos criar uma associação nacional, que nos dê outra força e outra capacidade", anunciou o presidente da Câmara de Ponte de Lima, Vasco Ferraz, referindo que "uma grande parte dos municípios demonstrou muito interesse em aderir", pelo que vão "continuar a fazer reuniões de trabalho para que a associação seja uma realidade em breve".

Neste primeiro encontro estiveram "aqueles municípios que têm mais ligação ao cavalo". "Estamos com cerca de dez, mas queremos tentar aumentar o número de forma a conseguir que numa primeira fase a associação tenha alguma força junto das entidades governamentais", disse o autarca, defendo que aquela agremiação de municípios com tradição equestre , permitirá que "de forma célere e mais prática, junto das entidades governamentais, ter uma força maior e garantia de financiamentos".

Da primeira reunião esta sexta-feira sairá um memorando segundo Bruno Rente, presidente Federação Equestre Portuguesa, que manifestou apoio total ao projeto. "Estaremos na linha da frente a tentar impulsionar esta ideia", garantiu aquele responsável, considerando a iniciativa "muito boa" e, por isso, a federação "associou desde o primeiro dia". "É uma forma de estarmos concertados, de ganharmos dimensão e uma estratégia global. Acredito que vai ser muito importante no futuro não só do desporto equestre, mas do futuro do país também", concluiu.

A Câmara de Ponte de Lima apresentou também esta sexta-feira o calendário de eventos equestres do município. Regressam após dois anos de interregno por causa da pandemia, o Concurso de Saltos Internacional (20,21 e 22 de maio), Concurso Regional Dressage (12 de junho), XIV Feira do Cavalo (7 a 10 de julho) e Jogos Equestres (11 a 14 de agosto). Uma rota de romarias a cavalo (Nosso Senhor do Socorro, Senhora do Minho, Santa Justa, S. Cristovão, Senhora da Boa Morte, S. Lourenço e São Cipriano) é novidade este ano.

De acordo com o autarca Vasco Ferraz, a Câmara investe anualmente "150 mil euros" em eventos equestres, gerando um retorno estimando em cerca de "seis milhões de euros" para a economia local.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG