Património

Valença retira canhões da Fortaleza após furto de um exemplar

Ana Peixoto Fernandes

Canhão roubado tem "incalculável valor histórico e patrimonial"|

 foto DR

Canhão roubado tem "incalculável valor histórico e patrimonial"|

 foto DR

Os canhões da Fortaleza de Valença foram retirados, após furto de um dos exemplares. O caso foi alvo de denúncia à GNR pela Câmara Municipal.

Segundo informação divulgada pelo município, na madrugada de domingo, dia 5, para segunda-feira, foi furtado do Baluarte do Socorro, junto à Pousada de S. Teotónio, no interior das Muralhas, "um canhão do reinado de D. João V, pertencente ao Arsenal Real do Exército, 7-1-16, do séc. XVIII".

"Ao que tudo indica, o canhão foi arremessado muralha abaixo, para um patamar intermédio, e novamente atirado para o fosso da fortaleza, onde terá sido recolhido e transportado", relata a autarquia, referindo que o município "participou a ocorrência à GNR sendo que foi acionada, de imediato, a Polícia Judiciária que já esteve no local a recolher provas".

Entretanto, "os restantes canhões existentes na fortaleza foram retirados e guardados, para prevenir uma nova tentativa de furto".

O presidente da Câmara Municipal de Valença, José Manuel Carpinteira mostra-se "profundamente revoltado e indignado com mais um situação de roubo e vandalismo na cidade, sendo que desta vez se trata de um elemento de incalculável valor histórico e patrimonial".