Fogo

Alto Minho aperta vigilância face ao "elevado número" de incêndios

Alto Minho aperta vigilância face ao "elevado número" de incêndios

A Comissão Distrital de Proteção Civil de Viana do Castelo anunciou esta terça-feira a implementação de sistemas de videovigilância e deteção de incêndios, face ao "elevando número" de fogos na região do Alto Minho em julho.

Segundo comunicado divulgado por aquele organismo, o sistema "permitirá às Forças de Segurança e Polícia Judiciária rápida intervenção".

Informa ainda que a medida foi tomada "face à ocorrência do elevado número de ignições, nomeadamente 145 em 26 dias do mês de julho, das quais 68 ocorreram em apenas 8 dias e destas, cerca de 60 % nos concelhos de Arcos de Valdevez e Ponte de Lima".

E acrescenta que, "nos próximos dias, o efetivo de patrulhamento e vigilância das autoridades será reforçado, nomeadamente em espaços rurais e florestais que apresentem riscos mais elevados de incêndio".

Subjacente àquela decisão está a conclusão, após analise das ocorrências, que "a maioria [dos incêndios], direta ou indiretamente, tem origem em comportamentos humanos".

De acordo com a Comissão Distrital de Proteção Civil de Viana do Castelo foi também "solicitado à Tutela o reforço de meios, em particular de efetivos das forças de segurança, para vigilância mais ativa das áreas florestais de modo a colmatar e minimizar o desenvolvimento de novas ocorrências".

Outras Notícias