O Jogo ao Vivo

Ambiente

BE questiona Governo sobre "descargas ilegais" em ribeiro de Viana do Castelo

BE questiona Governo sobre "descargas ilegais" em ribeiro de Viana do Castelo

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda (BE) questionou o Ministério do Ambiente e da Ação Climática sobre alegadas descargas ilegais no ribeiro de Radivau, em São Romão do Neiva, Viana do Castelo.

Na questão, os deputados referem que "nos últimos meses, as águas do ribeiro de Radivau têm sofrido descargas de óleo e gasóleo", junto à zona industrial da freguesia. O que, de acordo com denúncias da junta de freguesia de São Romão do Neiva, desde janeiro do corrente ano, já ocorreu por seis vezes.

O BE relata que "membros do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da Guarda Nacional Republicana (SEPNA) ter-se-ão deslocado ao local depois de receberem denúncias das descargas poluentes, por parte da população e dos autarcas locais". E que "no terreno terão constatado que as águas sofreram descargas ilegais que queimaram a vegetação envolvente ao leito".

O ribeiro de Radivau é um afluente que desagua no Rio Neiva, entre Castelo do Neiva, no concelho de Viana do Castelo e Antas, no concelho de Esposende.

"Os focos de poluição no ribeiro do Radivau colocam em risco o rio Neiva, que é muito procurado pela população local devido às águas límpidas ribeirinhas. As descargas poluentes podem ainda provocar efeitos negativos na biodiversidade ribeirinha, bem como na agricultura e saúde humana", alerta o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, considerando "inadmissível a ocorrência de repetidas descargas ilegais".

Reclama que "as entidades competentes identifiquem a origem da poluição, apurem responsabilidade e atuem nos termos da lei". "É imperioso proceder à despoluição do ribeiro e por consequência do rio Neiva para que a população local possa voltar a usufruir daquelas águas", concluem os deputados, que questionaram o Governo "se tem o conhecimento das recentes descargas poluentes no ribeiro de Radivau e que medidas e ações vai adotar para as erradicar".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG