Diocese

Bispo de Viana chama comunidades "a atuar" para suprir falta de padres

Bispo de Viana chama comunidades "a atuar" para suprir falta de padres

D. João Lavrador tomou posse este sábado, como novo bispo de Viana do Castelo, com a determinação de cumprir vários sonhos, um deles o de tornar as comunidades "vivas e atuantes", como forma de suprir a falta de padres que já se faz sentir naquela jovem diocese.

Numa conferência de imprensa naquela que será a partir de agora a sua residência oficial, o Centro Pastoral Paulo VI, em Darque, o novo bispo assumiu que da região apenas conhece "a paisagem, a gastronomia e as tradições". "Falta-me conhecer a alma dos povos do Alto Minho", declarou D. João Lavrador, que prometeu ser presença próxima dos fiéis.

"O bispo não pode ser teórico, tem de ser real e estar atento às pessoas", disse, afirmando que, para desenvolver as suas tarefas, irá contar com "a amizade e colaboração do clero" da região. "O bispo não faz nada sem os padres, porque ele é o que está em todas as paróquias, mas através dos seus sacerdotes", acrescentou, reconhecendo, contudo, que este é "um tempo difícil" também para a diocese de Viana, que "já começa a ter dificuldade com falta de padres".

"Já há aglomeração de paróquias, em que há alguns padres são muito sacrificados. Já tenho um conjunto de pedidos para começar a equacionar daqui para a frente", declarou, defendendo que, além de "trabalhar com os padres que tem", a diocese "tem de encontrar novas formas".

"Aqui está um outro convite: é que o padre não é aquele que faz tudo. É aquele que preside, anima, desperta, coordena, motiva, e é aquele que está atento e chama a todos para o serviço e distribui o serviço. Quando nós chegarmos aí, não tenhamos medo. As comunidades quando forem adultas, conscientes e em que cada uma assume o seu serviço dentro da Igreja, vamos ter padres, vamos ter religiosos e religiosas, leigos e comunidades vivas e atuantes. É esse o sonho que eu tenho", partilhou.

Até agora bispo de Angra, nos Açores, D. João Lavrador lembrou hoje "a graça" de ter deixado uma diocese que caminha para os 500 anos de existência, para assumir a de Viana do Castelo, que em breve cumprirá meio século. "Talvez Deus me queira dar esse rebuçadinho de vir celebrar os 50 anos, vejam que tem menos um zero, desta diocese. Espero que daqui a uns tempos comecemos a trabalhar [nessa celebração]", comentou, acrescentando que chega ao Minho "com entusiasmo e com a experiência" que foi acumulando, "de coração cheio e mãos vazias". "Venho para junto de vós para acolher o melhor possível".

No domingo, D. João Lavrador celebrará a sua primeira homilia na Sé Catedral de Viana, com a presença de autoridades civis, eclesiásticas e militares.

PUB

O seu episcopado marca uma nova etapa na mais jovem diocese do país, que em setembro de 2020 perdeu D. Anacleto Oliveira, num trágico acidente rodoviário na zona de Beja, quando regressava de umas férias no Algarve.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG