Viana do Castelo

Demolição do prédio Coutinho avança a olhos vistos

Demolição do prédio Coutinho avança a olhos vistos

A demolição do Edifício Jardim (prédio Coutinho) em Viana do Castelo, avança a olhos vistos. Os trabalhos, que prosseguem esta segunda-feira, atraem curiosos para o local.

Ao redor do imóvel as pessoas reunem-se a comentar, a tirar fotos e a filmar. "Mais um bocado e fica metade", comentava esta manhã um "espetador" sentado a assistir às manobras da máquina com braço de longo alcance que a todo o momento vai destruindo o prédio no sentido vertical.

Neste momento, um dos bloco mais altos já "emagreceu" para cerca de metade e a máquina começou a triturar o topo.

A empreitada recomeçou no início de fevereiro, após mais de um mês de paragem para "criar condições de segurança e de logística". Os trabalhos decorrem agora a bom ritmo. Na altura os responsáveis pela obra admitiram que provavelmente o prazo inicial de conclusão previsto para o fim de março, poderá resvalar pelo menos um mês. Recorde-se que o bloco traseiro e o mais pequeno dos três do Edifício Jardim, acabou de ser demolido em meados de dezembro.

A obra começou no dia 6 de dezembro, com recurso a uma máquina giratória de longo alcance (cerca de 40 metros). A demolição do prédio Coutinho, está prevista desde junho do ano 2000, no âmbito do programa Polis. O imóvel foi construído no centro histórico da cidade de Viana, na década de 70 por Fernando Coutinho, antigo emigrante no Congo belga, que faleceu em 2010, em plena luta dos moradores contra a demolição.

Há 21 anos quando foi anunciado este destino para o prédio, viviam nas suas 105 frações cerca de 300 pessoas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG