Viana do Castelo

Explosão de botija de gás em prédio obriga a realojar 19 pessoas

Explosão de botija de gás em prédio obriga a realojar 19 pessoas

Dezanove pessoas tiveram de ser realojadas, esta quarta-feira, depois de as casas onde vivem terem sido atingidas pela explosão de uma botija de gás, num prédio na cidade de Viana do Castelo.

Segundo a vereadora da Proteção Civil da Câmara de Viana do Castelo, Fabíola Oliveira, o elevado grau de destruição no edifício, com dois pisos e águas furtadas, situado na rua Arquiteto Ventura Terra, em Santa Maria Maior, impede que os habitantes regressem a casa nos próximos dias. A explosão registou-se cerca das 6.20 horas num apartamento, provocando ferimentos graves no seu único habitante, um homem com cerca de 60 anos, e danificando todo o prédio, composto por 15 apartamentos. A Polícia Judiciária está no local.

"As pessoas foram realojadas. Eram 19 pessoas que estavam no prédio. Quinze foram realojadas num hotel (Rali) e quatro não quiseram. Estão com familiares ou com amigos", informou Fabíola Oliveira, referindo que técnicos de engenharia civil estiveram já no edifício para aferir "se há perigo de desabamento", que "em princípio não há".

PUB

"O que há é grande destruição no piso superior e nos inferiores, portas e janelas estão todas rebentadas", descreveu a vereadora da Proteção Civil, adiantando ainda que a empresa responsável pelo prédio também já disponibilizou pessoal para o local para iniciar trabalhos de reparação. "Ainda vai demorar algum tempo até termos a possibilidade de entrar. Neste momento está a Polícia Judiciária a fazer a avaliação e, logo que seja possível, vão entrar os prestadores de serviços para fazer a avaliação do que têm de repor e as pessoas virão buscar os seus pertences", afirmou, indicando que há vários idosos entre os moradores, mas não há crianças.

Quanto ao regresso dos moradores às casas, Fabíola Oliveira comentou que "ainda é muito cedo". "Hoje está fora de hipótese e penso que esta semana será difícil. Há aqui estragos grandes e estamos preocupados por causa da possibilidade de chover. Estamos preocupados em salvaguardar os bens das pessoas e por isso vamos tentar resguardar ao máximo", disse, acrescentando que a explosão seguida de incêndio terá tido origem "numa botija de gás, mas ainda não se sabem exatamente as causas", que estão a ser analisadas pela PJ.

O morador ferido na sequência da explosão foi transportado esta manhã em estado grave para o hospital de Gaia.

No local estiveram envolvidos na operação de socorro, 29 operacionais com nove viaturas dos Bombeiros Sapadores e Voluntários de Viana do Castelo, VMER do Alto Minho e patrulhas da PSP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG