Pandemia

Grupo Avic coloca 400 trabalhadores em lay-off

Grupo Avic coloca 400 trabalhadores em lay-off

O grupo Avic, com sede em Viana do Castelo, vai colocar 400 trabalhadores em lay-off. Com um total de sete empresas, que laboram maioritariamente no setor dos transportes de passageiros, e 280 autocarros, o grupo suspendeu já a meio de março praticamente todas as suas ligações na região do Minho. Trata-se do principal operador de autocarros nos dez concelhos da região do Alto Minho.

"Com a crise provocada pelo surto de Covid-19, as empresas reduziram quase a totalidade da sua atividade. Não se perspetivando uma retoma a curto prazo, estas foram obrigadas a entrar em regime de lay-off no dia 1 de abril por forma a manter os postos de trabalho, suportar esta fase de paragem e garantir uma retoma no futuro", informa o grupo em comunicado. "Na área dos transportes esta crise levou à paragem de mais de 90% da frota, afetando todos os serviços de carreira, Expresso e alugueres ocasionais e regulares", acrescentam.

Aquando da paragem das suas empresas, o administrador Valdemar Cunha, referiu ao JN que o grupo mantinha em Viana do Castelo, Arcos de Valdevez e Braga, apenas "serviços mínimos para assegurar algumas linhas de trabalho".

No comunicado divulgado esta quinta-feira, Valdemar Cunha apelou "ao pagamento imediato de dívidas por parte de todas as entidades públicas devedoras, de todas as quantias já vencidas, assim como pagamento das demais quantias nas respetivas datas de vencimento, para que as empresas sobrevivam durante este período de paragem e retomem a atividade com mais estabilidade".