Premium

Casa dos Rapazes não aceitou mais jovens após maus-tratos

Casa dos Rapazes não aceitou mais jovens após maus-tratos

A Casa dos Rapazes de Viana do Castelo vive dias difíceis desde que, em 2017, foi instaurado um processo-crime por suspeita de maus-tratos. Está, desde então, impedida de acolher novos utentes e a sua estrutura financeira e humana definha.

A atual Direção da instituição desespera face à possibilidade de a casa, com 67 anos, não sobreviver se a situação não for revertida. E tem-se desdobrado em contactos com a tutela para que a admissão de utentes suspensa há dois anos seja levantada.

A sentença do caso dos maus-tratos a jovens foi conhecida em julho, com a absolvição dos antigos monitor e diretora técnica, e a condenação de três funcionários (haverá recurso). A atual equipa diretiva, liderada por Luís Brito, procura convencer a tutela a desbloquear a admissão de utentes, argumentando que, além de os principais suspeitos terem sido absolvidos, nenhum dos cinco funcionários (ver ficha) envolvidos no processo trabalha na instituição.