Premium

Hospital de Viana traz ao mundo bebés de 18 países diferentes

Hospital de Viana traz ao mundo bebés de 18 países diferentes

A Maternidade de Viana do Castelo é uma caixinha de surpresas. Os profissionais são cada vez mais confrontados com grávidas com culturas e línguas diferentes. Este ano, nasceram ali 56 bebés de 18 nacionalidades. E, desde 2012, um total de 350 de cerca de 40 países.

Os partos de estrangeiras são cada vez mais frequentes e a nova realidade até já obrigou o serviço a fazer algumas adaptações, como ter um tradutor de prevenção.

Para evitar erros de percurso nas gravidezes de mães de todo o Mundo, principalmente imigrantes na região, foi lançado um vídeo e uma brochura multilingue (inglês, francês, mandarim, russo e português) para que cumpram todos os passos até ao parto.

Amor e vida

O filme intitulado "Transformar amor em vida", criado em parceria com o Instituto Politécnico e a Câmara de Viana do Castelo, está "em exibição" nos centros de saúde do Alto Minho. "Devido ao número de imigrantes que nos aparece e, fundamentalmente, porque a forma de vigiar as gravidezes não é igual em todos os países e as pessoas não têm a noção do que se faz no nosso Sistema Nacional de Saúde, criou-se esse vídeo que marca todos os exames que se devem fazer durante a gravidez", explicou a diretora da Maternidade da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Paula Pinheiro, referindo: "Não temos todos os dias grávidas de outras nacionalidades, mas começa a ser bastante frequente".

No dia da reportagem, encontravam-se naquele serviço três recém-nascidos de mães canadiana, moçambicana e ucraniana. Debby Silva, de 38 anos, filha de emigrantes portugueses no Canadá, teve a bebé antes de tempo. Inês nasceu com 34 semanas e já tem um irmão com sete anos. Apesar do contratempo devido a "uma restrição de crescimento" da filha, o parto correu bem e a mãe, que só veio para Portugal aos 17 anos, elogia o SNS. "O sistema é muito bom, em relação ao Canadá", comentou Debby.

Mariia Shcher Ban, de 26 anos, natural de Lviv, Ucrânia, e residente em Barroselas, Viana do Castelo, foi mãe pela primeira vez de uma bebé a que deu o nome de Adele. Quando a visitámos no quarto, o silêncio da mãe, que não fala português ou inglês, contrastava com o choro persistente da bebé enquanto mudava a fralda.

De Moçambique

Já noutro quarto, o JN encontrou o "come e dorme" Rogério, filho de Manuela Baptista de 28 anos, natural e residente em Maputo, Moçambique. A jovem mãe veio de propósito a Portugal para ter o primeiro filho, por vontade do pai, um português de Ponte de Lima. O bebé nasceu de cesariana e é a felicidade da avó que acompanhou a filha nesta viagem.

No histórico dos últimos seis anos da Maternidade de Viana, os anos mais férteis foram 2012, com o nascimento de 77 crianças de 24 nacionalidades, e 2018, com 56 bebés de 18 nacionalidades.

112 bebés de mães brasileiras

O Brasil é o país com mais partos na Maternidade de Viana do Castelo. Só entre 2012 e 2018, nasceram 112 bebés de mães brasileiras.

Brasil a crescer

Em 2016, nasceram 19 bebés, no ano passado 22 e ao longo de 2018 (até novembro) já nasceram 26.

França e Cabo Verde

Este ano houve 26 bebés do Brasil, seis de França, três de Cabo Verde, dois de Espanha, Ucrânia, São Tomé, Roménia e Polónia. E um de Itália, Inglaterra, Serra Leoa, Alemanha, Bielorrússia, Venezuela, Eslováquia, El Salvador, China e Bolívia.

ver mais vídeos