Viana do Castelo

Viana acolhe o primeiro museu multimédia dedicado ao chocolate

Viana acolhe o primeiro museu multimédia dedicado ao chocolate

O primeiro museu em Portugal dedicado ao chocolate, com tecnologia 3D e 4D, abre na sexta-feira em Viana do Castelo, num investimento superior a 700 mil euros.

"Da investigação que fizemos, é o primeiro espaço com um conceito lúdico e interativo em Portugal. O visitante é convidado a fazer uma viagem no tempo para conhecer a história da descoberta do cacau e as diferentes regiões de produção através de realidade aumentada, salas 4D, experiências 3D e videowalls", explicou à Lusa Goreti Silva, gerente da empresa "Na Rota do Chocolate".

Segundo a responsável, o museu obrigou à criação de conteúdos exclusivos, totalmente produzidos por uma empresa nacional, como uma aplicação interativa para os mais pequenos.

O espaço museológico, que deu mote à criação do hotel "Fábrica do Chocolate", abre ao público esta sexta-feira.

A unidade de quatro estrelas recentemente inaugurada representou um investimento de 3,4 milhões, dos quais 2,2 comparticipados por fundos comunitários.

Através de uma visita personalizada ou, em alternativa, com recurso a áudio-guia, o museu convida o visitante, em cada uma das cinco salas que o compõem, a viver experiências sensoriais.

"Na sala onde recriamos a plantação de cacau ouve-se o canto de pássaros exóticos, respira-se o cheiro da terra e sente-se calor e humanidade, condições próprias das regiões onde se cultiva da planta", explicou Goreti Silva.

O mesmo acontece no espaço que transporta o visitante "às primeiras civilizações que utilizaram o cacau na alimentação, recriando momentos da história de astecas e maias".

"Neste espaço acrescentamos mais uma experiência sensorial. Num apelo ao palato do visitante fazemos uma prova com uma bebida de cacau, consumida na altura em cerimónias religiosas", adiantou.

Há também uma sala dedicada ao percurso do navegador espanhol, Hernán Cortez, que à chegada à América do Sul descobriu o cacau e o introduziu na Europa.

"Respira-se o cheiro a mar e sente-se o vento que a embarcação de Cortez enfrentou até ao México", explicou.

O museu inclui ainda uma sala que retrata a expansão do chocolate pelo mundo e termina num espaço que recria todo o processo de produção, tal como numa unidade fabril.

O museu tem como mascote "o avô Lima", numa homenagem ao empresário de Viana do Castelo responsável pelo início da produção de chocolate na cidade, há mais de um século.

O museu está aberto ao público em geral com preços diferenciados para visitas individuais ou em grupo, sobretudo a pensar nas escolas da região.

ver mais vídeos