Obras

Viana conclui em novembro investimento de meio milhão de euros no templo de Santa Luzia

Viana conclui em novembro investimento de meio milhão de euros no templo de Santa Luzia

O santuário de Santa Luzia, em Viana do Castelo, está a ser alvo de um investimento de requalificação de quase meio milhão de euros a concluir até novembro.

Segundo André Alves Coutinho, a intervenção começou em abril, com "a requalificação do interior do templo e a instalação de um sistema de contagem de visitantes, terminando em novembro com a apresentação de uma aplicação para telemóveis e 'tablets' e de um novo sítio na internet, para a divulgação e promoção turística do santuário".

O responsável explicou que "a intervenção, orçada em mais de 480 mil euros, financiada em 80% por fundos comunitários, está dividida em quatro fases, que abrangem o interior e exterior do templo-monumento, o tratamento de todo o espólio, a instalação de sinalética e a criação de ferramentas para a sua divulgação".

André Alves Coutinho adiantou que "até setembro terminará a empreitada de requalificação das fachadas do templo-monumento, orçada em 130 mil euros".

"Até final desta semana estarão concluídos os trabalhos de limpeza da fachada frontal, até final de julho a parede lateral-poente e, em setembro, a posterior-nascente", especificou, acrescentando estar concluída a intervenção na cúpula que obrigou ao encerramento ao zimbório existente no topo do templo, o ponto mais alto de Viana do Castelo e que avista uma paisagem de vários quilómetros, entretanto reaberto este mês.

De acordo com dados da confraria, entre 80 a 90 mil pessoas acedem (entrada paga) anualmente ao zimbório.

Projetado pelo arquiteto Ventura Terra, o templo de Santa Luzia, cuja construção decorreu entre 1904 e 1943, é hoje um ex-líbris de Viana do Castelo, sobranceiro à cidade na montanha com o mesmo nome.

"Em novembro a intervenção terá que estar concluída para cumprimento dos prazos dos fundos comunitários e aí teremos o templo como uma nova imagem", sustentou o presidente da Confraria, que zela por aquele santuário desde 19 de março de 1884.

Em paralelo, decorre o projeto de reordenamento e beneficiação da zona envolvente àquele monumento nacional classificado, iniciado em março de 2014, num investimento superior a um milhão de euros, "integralmente suportado pela confraria".

Com conclusão prevista para dezembro está um edifício polivalente de três andares, orçado em 900 mil euros. Destina-se a receber as novas instalações da confraria, um albergue de peregrinos, o arquivo e o museu do templo de Santa Luzia, dedicado ao Sagrado Coração de Jesus.

Integrado no arranjo urbanístico e paisagístico daquela área foi inaugurado em 2014 um anfiteatro e o reordenamento do Jardim das Tília, nas traseiras do templo, num investimento de cerca de 100 mil euros. Nesta empreitada está ainda prevista "a criação de um jardim, já com projeto concluído mas cuja concretização está dependente do apoio de fundos comunitários".

O projeto integrou ainda o "redesenho" da praça do santuário, reorganizando a circulação automóvel e pedonal no local, nomeadamente "eliminando o estacionamento na frente do templo e reduzindo a área de paragem de autocarros".

O plano global de requalificação da envolvente ao templo contempla ainda "a construção de um bar/restaurante panorâmico além de um espaço de culto e para conferências", orçado em três milhões de euros.

"Este é, seguramente, um projeto que só conseguiremos concretizar na próxima década", referiu.

Em 2014, aquela confraria foi distinguida com o certificado de "Excelência" 2014, com base na pontuação atribuída por turistas de todo o mundo. A atribuição do prémio foi baseada nos "'feedbacks' positivos" de viajantes que consultam habitualmente o Tripadvisor, o maior 'site' de viagens do mundo.

ver mais vídeos