Inovação

Investimento de dez milhões de euros em parque de Viana do Castelo cria 70 empregos

Investimento de dez milhões de euros em parque de Viana do Castelo cria 70 empregos

Um investimento entre sete e dez milhões de euros na sexta fase do parque empresarial de Lanheses, em Viana do Castelo, vai criar um centro de inovação e desenvolvimento e uma fábrica de abrasivos diamantados que empregará 70 trabalhadores.

Em declarações à agência Lusa, esta terça-feira, a propósito do alargamento do parque empresarial de Lanheses, o ainda presidente da câmara da capital do Alto Minho, José Maria Costa, disse tratar-se do novo empreendimento empresarial da KGS Diamond, no concelho de Viana do Castelo.

"A escritura do terreno já foi assinada. Trata-se de um lote com sete mil metros quadrados de área. O projeto do novo centro de inovação e desenvolvimento e da fábrica está a ser ultimado. A empresa suíça tem alguma urgência no início da empreitada que deverá começar durante o primeiro trimestre de 2022", adiantou José Maria Costa.

A KGS Diamond é o fabricante líder mundial de abrasivos diamantados flexíveis e tecidos metalizados eletroliticamente.

A empresa, fundada na Suíça em 1906, fabrica abrasivos desde 1952. A KGS tem mais de 20 escritórios de vendas e distribuição na Europa, América do Norte, Médio Oriente, Singapura, Índia, China e Austrália e tem ainda fábricas instaladas na Suíça, Holanda Hungria, Portugal, Emirados Árabes Unidos e Índia.

No total, segundo José Maria Costa, a Câmara de Viana do Castelo vai investir 2,4 milhões de euros na sexta fase de expansão do parque industrial de Lanheses.

A abertura do concurso público da empreitada, aprovada em reunião camarária, aguarda publicação em Diário da República.

PUB

A obra prevê a construção de infraestruturas de abastecimento de água e saneamento básico, um novo acesso rodoviário "para servir à nova fábrica da multinacional americana, BorgWarner, já em construção num investimento de 25 milhões de euros e que criará 300 novos postos de trabalho".

O projeto inclui ainda uma área de estacionamento e zona de carregamento de veículos elétricos.

Segundo o autarca, os 11 empreendimentos industriais instalados nas cinco fases do parque empresarial de Lanheses empregam atualmente 2 400 trabalhadores, estando previstos, "a curto prazo", novos empreendimentos empresariais.

A quinta fase do parque industrial, inaugurada em janeiro de 2019, correspondeu a um investimento de cinco milhões de euros.

Naquela infraestrutura, "com vocação para o 'cluster' automóvel, as novas unidades indústrias que se instalaram nos últimos 10 anos trabalham em grande parte para a exportação".

"Estas empresas aumentaram o perfil exportador do concelho, que segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE) ocupa o 16.º lugar dos mais exportadores a nível nacional, sendo responsável por 1,5% das exportações e contribuindo com um 'superavit' muito superior de 400 milhões de euros para a balança de transações", adiantou.

Constituído em 2001, aquele parque, o maior do concelho, acolhe, para além do 'cluster' das energias renováveis da Enercon, empresas dos mais diversos setores de atividade, desde o automóvel, distribuição e transformação alimentar, metalomecânica ou transformação de vidro.

O projeto do parque empresarial de Lanheses foi lançado em 2000 numa parceria entre a Associação Empresarial de Portugal (AEP), a câmara e a Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG