Viana do Castelo

Manifestantes pedem referendo e anunciam ação popular contra a Águas do Alto Minho

Manifestantes pedem referendo e anunciam ação popular contra a Águas do Alto Minho

Uma manifestação juntou este domingo à tarde cerca de duas centenas de pessoas (número avançado pela PSP no local), junto à Câmara Municipal de Viana do Castelo, em protesto contra a empresa Águas do Alto Minho (AdAM).

Os manifestantes gritaram palavras de ordem como "Referendo já", "A água é nossa" e "AdAM fora". Pediram a reversão da empresa para o sistema municipal antigo, desafiaram os municípios acionistas para a realização de uma consulta popular e subscreveram no local um abaixo-assinado para acompanhar uma ação que está a ser preparada contra a empresa da água para dar entrada no Ministério Público (MP).

Está em causa o desempenho da AdAM, que entrou em atividade em janeiro de 2020, com sete municípios acionistas: Viana do Castelo, Arcos de Valdevez, Ponte de Lima, Paredes de Coura, Valença, Vila Nova de Cerveira e Caminha.

"Façam um referendo público, escutem as populações, entre o Sim e o Não à AdAM. É a forma democrática. Estamos no dia 25 de Abril e esta é a forma democrática que temos de demonstrar qual é a atual situação. Ouçam-nos", declarou Mário Sousa, do movimento "Não às Águas do Alto Minho", que convocou através das redes sociais manifestações simultâneas para este domingo em todas as sedes dos concelhos abrangidos pela AdAM.

"Se eles [os autarcas] acham que as coisas estão melhores, não vão ter preocupação nenhuma em ganhar e que a AdAM seja a gestora das nossas águas", referiu, considerando que a criação daquela empresa [uma parceria da Águas de Portugal e dos municípios] foi "um ato antidemocrático, porque não houve consulta pública".

Mário Sousa acrescentou que "estão a ser tentados todos os meios ao alcance" para reverter a gestão da água para domínio municipal. "Como há falhas, incompetência da empresa e não há outro fornecedor, vamos para o Ministério Público, por causa dos erros que cometeram: contadores trocados, faturas cobradas em duplicado, cobrado mais consumo do que aquele que é, maus atendimentos de quem vai ao local. São muitas as reclamações", disse.

Em reação à manifestação desta tarde, o Presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, reiterou a confiança dos municípios na AdAM, a quem atribuem "avanços" no desempenho e também na concretização de investimentos de "cerca de 25 milhões de euros" nos sete concelhos.

PUB

"Continuamos a acreditar na AdAM como projeto estruturante para o futuro do Alto Minho", declarou, considerando que, "apesar das dificuldades iniciais do processo e de muitos erros cometidos no início, entendemos que este é um processo que deve continuar para concretizar os objetivos a que nos propusemos - melhorar a qualidade de vida dos cidadãos do Alto Minho".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG