Cabedelo

Protesto contra abate de 20 plátanos em Viana do Castelo

Protesto contra abate de 20 plátanos em Viana do Castelo

A associação dos moradores do Cabedelo em Viana do Castelo convocou esta noite uma ação marcada para esta segunda-feira de manhã, para tentar travar o abate de 20 plátanos numa avenida que liga a EN13 à praia e à zona habitacional daquela localidade.

A empreitada foi anunciada pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, na sexta-feira, para ser iniciada esta segunda e está a provocar uma onda de contestação nas redes sociais. Deu também origem ao lançamento de uma petição online contra o derrube das árvores e ainda a várias movimentações para realização de protestos segunda-feira ao início da manhã no local.

A associação de moradores do Cabedelo juntou-se à contestação. "Pede-se a todas as pessoas e órgãos de comunicação social que compareçam amanhã pelas 8 da manhã na Avenida do Cabedelo, junto ao
"novo" edifício dos Escuteiros e a Capela da Nossa Senhora das Areias, a fim de evitar que o dano irreparável se materialize", escreve em comunicado divulgado esta noite aquela associação, considerando que o abate dos plátanos "decorre da deficiente execução e planeamento das obras do acesso ao porto-de-mar de Viana do
Castelo". E que "existem soluções técnicas alternativas de acesso ao porto-de-mar, sem necessidade de colocar em
causa o referido património natural".

"A Associação de Moradores do Cabedelo é manifestamente contra o abate injustificado dos plátanos por constituir um dano irreversível", afirma. A Câmara Municipal de Viana do Castelo justifica o abate de 20 plátanos dos 170 existentes no local, com a construção de uma rotunda que servirá os novos acessos ao porto de mar.

A autarquia adianta que para "minimizar o impacto prevê a plantação de 200 árvores resinosas e folhosas autóctones com grande capacidade de reserva de carbono, como é o caso do Pinheiro-bravo e do Sobreiro nos próximos dois anos em várias áreas do Cabedelo".

"O objetivo desta ação, que orçará cerca de 30 mil euros, é repor, mas também reforçar, a capacidade de sequestro de CO2 naquele território e contribuir também para a melhoria do aspeto cénico, conforto climático e dos locais que podem ser usufruídos", afirma a Câmara em comunicado, referindo que a construção da nova rotunda "irá permitir o acesso à nova via com 8,8 quilómetros de extensão a ligar a A28 ao Porto de Viana do Castelo em São Romão de Neiva, com duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura". E acrescenta que a nova via tem por objetivo "descongestionar as vias urbanas do tráfego de veículos pesados, retirando da antiga EN 13 e do interior da freguesia de Darque o tráfego de pesados de e para o Porto de Mar".

Outras Notícias