Covid-19

Padre de Viana do Castelo está infetado e pede a fiéis para estarem atentos a sintomas

Padre de Viana do Castelo está infetado e pede a fiéis para estarem atentos a sintomas

O pároco da Meadela, em Viana do Castelo, confirmou esta quarta-feira à Lusa ter testado positivo para o novo coronavírus e pediu aos fiéis que com ele contactaram nos últimos dias para estarem atentos a eventuais sintomas da covid-19.

"Pedi ao sacerdote que me veio substituir na paróquia e que tem celebrado as missas desde a última sexta-feira para informar as pessoas do que se está a passar comigo, para estarem atentas a eventuais sintomas", afirmou monsenhor Vasco Vilar.

O sacerdote de 76 anos que, na terça-feira, viu confirmada a infeção pelo novo coronavírus adiantou que a saúde pública de Viana do Castelo contactou as três pessoas da paróquia por ele indicadas por manterem relações de maior proximidade e que estão, como ele, em confinamento.

"As pessoas mais próximas de mim foram informadas pelas entidades de saúde pública. Estão todas bem. Eu também estou bem. Até estou intrigado por não ter nenhum sintoma", declarou.

"Acredito que tudo vai correr bem, mas é preciso que as pessoas estejam atentas", alertou, referindo-se à necessidade do rastreio para evitar um surto da doença.

Vasco Vilar adiantou ter sido contactado, na sexta-feira passada, pelo delegado de saúde de Vila Nova de Famalicão, no distrito de Braga, após ter sido confirmada a infeção pelo novo coronavírus ao pároco de Ribeirão.

PUB

"Estive com o meu colega em finais de julho e na última sexta-feira fui contactado pelo delegado de saúde pública de Vila Nova de Famalicão e logo que me comunicaram meti-me em casa e pedi a outro padre para assegurar o serviço religioso da paróquia", explicou o monsenhor.

Vasco Vilar afirmou que, desde o princípio da pandemia, se preocupou "em cumprir" as normas impostas pelas entidades de saúde e que, após estar curado, vai ser "mais exigente".

"A igreja é desinfetada sempre, as pessoas usam máscara, temos gel desinfetante à entrada do templo, e para a comunhão mandei fazer uns acrílicos para não haver contacto com os féis". especificou.

Contactada esta quarta-feira pela Lusa, fonte do Secretariado Diocesano de Viana do Castelo disse tratar-se do primeiro caso de infeção entre sacerdotes, garantindo que os serviços religiosos no distrito de Viana do Castelo "cumprem as normas impostas pelas autoridades de saúde".

"A Diocese de Viana do Castelo sempre colaborou com as autoridades de saúde no cumprimento das medidas de prevenção da covid-19 e assim continuará a ser", salientou a mesma fonte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG