Covid-19

Próximo ano letivo do Politécnico de Viana arranca a 6 de outubro

Próximo ano letivo do Politécnico de Viana arranca a 6 de outubro

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) tem programado o arranque do próximo ano letivo para 6 de outubro, com "desdobramento de turmas", como medida de contingência por causa da pandemia.

A informação foi avançada esta segunda-feira pelo Presidente do IPVC, Carlos Rodrigues, numa reunião com o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que visitou o novo laboratório de testes à Covid-19, que entra em atividade esta terça-feira naquela instituição.

Este é o 21.º laboratório de instituições académicas e científicas a ser certificado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) para despistagem ao SARS-CoV-2. O Ministro Manuel Heitor saudou o trabalho desenvolvido no IPVC e questionou os seu responsáveis sobre a sua vivência face ao cenário atual e a preparação da atividade letiva 2020-2021.

PUB

"Vamos ter desdobramento de turmas por causa do espaço nas salas de aula. As turmas que até agora eram de 30 a 35 alunos, passam no máximo para 15", declarou Carlos Rodrigues, adiantando também que, para fazer face à nova realidade, o Politécnico de Viana, avançará "com contratação de mais docentes para o primeiro semestre".

O presidente do Politécnico informou ainda que a pandemia acabou por empurrar a atividade letiva 2020-2021, para outubro, ficando setembro ocupado com realização de exames. E que para esse efeito e pela mesma razão do "desdobramento de turmas", está em cima da mesa a possibilidade de utilização de dois pavilhões cedidos pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, que já se terá mostrado disponível para tal.

No laboratório do IPVC trabalham, em coordenação com as autoridades de saúde da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), dois docentes, um investigador e sete técnicos. Tem capacidade para a realização de 190 testes por semana.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, destacou a importância de espaço como aquele, para despiste dos cerca de 70 mil cuidadores dos lares de idosos do país. Segundo o governante já foram realizados "até agora cerca de 20 mil testes", sendo que "a capacidade que há três semanas era de 100 testes por dias, passou para quatro mil por dia". "A zona do Alto Minho é particularmente relevante porque tem mais de 60 lares e por isso a opção do Politécnico de Viana para adaptar o seu laboratório de microbiologia", disse Manuel Heitor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG