Viana do Castelo

VianaPolis está a forçar moradores do prédio Coutinho a sair

VianaPolis está a forçar moradores do prédio Coutinho a sair

A sociedade VianaPolis está, esta tarde, a forçar moradores no Edifício Jardim (prédio Coutinho), em Viana do Castelo, a abandonar as suas habitações.

Segundo relato de uma moradora que se encontra no interior do imóvel, representantes da sociedade VianaPolis estão "a usar de violência" para tomar posse de frações.

"Começaram no andar no 12.º direito. Apareceu a Polis com o serralheiro para trocar fechadura. Tentaram negociar e não foi possível. Abriram a porta e trocaram a fechadura. A minha prima [família espanhola Fernandez Tarrio] está dentro. E disseram que a partir do momento que saia não pode voltar a entrar. E que a água, luz e gás serão cortados no fim do dia", relatou ao Jornal de Notícias Maria José da Ponte, proprietária de um apartamento, ao telefone do interior do prédio.

A moradora deu ainda a ouvir uma intervenção em curso no 8.º andar, onde eram percetíveis gritos de uma habitante que resistia a que tomassem posse da sua fração. De acordo com o mesmo relato, o advogado dos moradores terá entregue "uma ação cautelar à VianaPolis para suspender o ato".

O advogado dos moradores confirmou aos jornalistas que vão ser cortados os serviços de água, luz e gás no edifício e que os moradores estão mesmo a ser forçados a sair, pela VianaPolis. Uma providência cautelar foi interposta no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, mas o facto de ser feriado na cidade está a dificultar a situação. "A VianaPolis está a desrespeitar essa providência cautelar", afirmou Magalhães Sant'Ana.

No edifício, os ânimos encontram-se muito exaltados e um morador com cerca de 70 anos está a ser assistido pelo INEM.